Dezembro / 2017
DSTQQSS
0102
03040506070809
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31
Não foi encontrado nenhum registro para o mês de Dezembro
IslamAhlul BaitImam Mohammad al-Mahdi (A.S.)

É o Imam Mohammad Ibn Al-Hassan “Al-Ascari”, Ibn Ali “al-Hádi” Ibn Mohammad “al-Jauád”, descendendo enfim de todos os Imames protegidos por Deus, até o seu ancestral, o 1º Imam Ali Ibn Abi Táleb (A paz esteja com todos eles).

O Imam Mohammad Ibn Al-Hassan (A paz esteja com ele), teve várias alcunhas, sendo a mais famosa é a de “Al-Mahdi” por ter sido o “Guia” do povo, depois da aberração e da indecisão. Outro apelido que lhe deram foi de “Al-Qá-emm”, isto é, “O Reformador”, pois retornará nos fim dos tempos e erguerá a bandeira da justiça e dos direitos, e teve também o cognome de Sáheb Al-Zamán”, ou seja, “O Dono dos Tempos”.

Seu Pai: Foi o Imam Al-Hassan “Al-Ascari” (A paz esteja com ele).

Sua Mãe: Foi a grandiosa senhora Nârjas, que era neta do Imperador bizantino Yoshaa, descendente de Chamoun, ou seja, Simão “A Pedra”, um dos discípulos do Messias.

Essa senhora vivia em seu país, pertencente à ocasião ao Império Bizantino, juntamente com sua família e a nobreza. Ela tinha sempre sonhos premonitórios, dos quais num deles sonhou com o Profeta Mohammad (Deus o abençoou e a sua Linhagem e os saudou) em companhia do Messias (A paz esteja com ele), o qual a casava com o Imam Al-Hassan “Al-Ascari”. E. em outra noite, viu em seu sonho Fátima “Azzahra” (A paz esteja com ela), exortando-a para abraçar a doutrina islâmica, convertendo-se para o Islam sob sua benção, porém, Nârjas ocultou o seu sonho e nada contou dele aos seus parentes, omitindo-lhes a conversão, até que se estenderam as lutas entre os muçulmanos e bizantinos comandados por seu avô, Yoshaa.

Novamente, Nârjas teve um sonho, onde ouviu a voz “ordenando-a a se vestir como um serviçal e se misturar com as serviçais do castelo, indo com as mesmas acompanhar os soldados até a fronteira dos combates”. Obediente, ela cumpriu a ordem recebida em sonho e foi até os campos de batalha, onde ficou prisioneira dos muçulmanos, os quais mandaram as caravanas dos cativos para Bagdá , antiga Capital do Califado Abássida. Este fato ocorreu no tempo do Imam Ali “Al-Hádi” (A paz esteja com ele) que se encontrava em Samarrá, donde escreveu uma carta em latim e remeteu-a por intermédio de um homem de sua confiança, orientando-o de que deveria ir ao local onde se encontravam os prisioneiros de guerra e comprar determinada mulher, que o Imam (A paz esteja com ele) lhe descreveu, depois de entregar-lhe sua missiva. E assim foi; o homem comprou aquela grandiosa mulher, levando-a posteriormente para o Imam “Al-Hádi” (A paz esteja com ele). Chegando a residência do Imam e depois do descanso devido e merecido, o Imam mandou chamá-la para um diálogo, quando ele começou a lembrá-la dos sonhos que ela tivera, anunciando-lhe que será a esposa de seu filho o Imam Al-Hassan “Al-Ascari” (A paz esteja com ele) e mãe de seu neto, Mohammad “Al-Mahdi”, (A paz esteja com ele) o qual preencherá o mundo com a justiça, a paz e os direitos humanos.

Depois de sua palestra com Nârjas ,o Imam “Al-Hádi” (A paz esteja com ele) elevou os assuntos dela a sua irmã Haquima, uma das sehoras honoráveis da Casa da Linhagem do Profeta, a fim de ensiná-la as sentenças legislativas e a cultura islâmica.

Nascimento Milagroso

O Imam Mohammad “Al-Mahdi” nasceu na cidade de Samarrá no dia 15 de Chaaban do ano de 255 da Hijra (868 d.C), e os Abássidas tentaram todos os meios para controlarem as mulheres do Imam “Al-Ascari” (A paz esteja com ele) a fim de se informarem sobre o filho que irá sucedê-lo no Imamato, com a intenção macabra e maléfica de exterminá-lo; mas o Poder de Deus Supremo é invencível e Sua vontade protegeu-o de qualquer maldade, encobrindo-o dos olhares indiscretos; tanto é, quando sua mãe estava grávida dele, nada denunciava a sua gravidez, até o dia em que deu a luz, e somente as pessoas de confiança de seu pai, o Imam Al-Hassan “Al-Ascari” (A paz esteja com ele) o viam, com receio de que venha a ser assassinado. Assim, o Imam “Al-Mahdi” (A paz esteja com ele) viveu com seu pai até a idade dos cinco anos.

Seu Ministério (Imamato)

Após a morte de seu pai, o Imam Al-Hassan “Al-Ascari”, em 260 da Hijra, incumbiu-se lhe a responsabilidade do imamato, e tinha então, a idade de cinco anos; e, por ordem de Deus Altíssimo, o Imam Al-Mahdi (A paz esteja com ele) ausentou-se, cortando as comunicações com as pessoas em geral, e somente transmitia suas informações as questões do povo, através de seus assessores de confiança, apesar de tal procedimento era deveras estranho diante da conduta dos dois últimos Imames __ “Al-Hádi” e “Al-Ascari” __ os quais nomeavam seus procuradores e assessores em todas as províncias, enquanto que o Imam “Al-Mahdi” (A paz esteja com ele), teve somente quatro assessores especiais, os quais um sucedeu o outro, sendo o primeiro Othmán Ibn Said Al-Umari, que era dos amigos fieis dos Imames “Al-Hádi” e “Al-Ascari” (A paz esteja com eles), e, após a morte do amigo Othmán, sucedeu-o seu filho Mohammad Ibn Othmán, que, após o falecimento deste, sucedeu-o Hussein Ibn Ruh' Al-Noubkhati, nomeado pelo próprio Imam “Al-Mahdi” (A paz esteja com ele) e depois que ele morreu, o Imam nomeou como seu 4º assessor, Ali Mohammad Al-Samari, o qual tinha recebido uma carta do Imam “Al-Mahdi” (A paz esteja com ele), n ano de 329 da Hijra, que o notificava que ele morrerá em poucos dias, cessando assim o assessoramento e a assistência dele, e começando daí a Grande Ausência, até que Deus permitisse o seu retorno e então, a representação será geral. Nesta missiva, o Imam “Al-Mahdi” (A paz esteja com ele) menciona também o seguinte: “... e aquele que for dos jurisconsultos, preservado e conservador em sua religião, contrariando os próprios desejos, obedientíssimo ao seu Senhor Deus, será necessariamente procurado por todos pelo conhecimento de suas sentenças legislativas”.

O Imam “Al-Mahdi” nos nobres colóquios

Dezena de centenas de vezes foi mencionada o assunto alusivo ao 12 º Imam e seus atributos e qualidades, bem como, sobre a sua ausência e ressurgimento para o estabelecimento do Estado da Verdade; e muito foi declarado de que será seu nome e que ele descenderá do Imam Al-Hussein Ibn Ali (A paz esteja com ele) o qual irá surgir no fim dos tempos e levantar o estardante da justiça e da paz.

Eis que mencionaremos alguns desses colóquios __ (Al-Hadith Acharíf), isto é, a Tradição Nobre:

1. De acordo com o que veio no “Mosnad”, isto é, “A pregação” ou “Declaração”, de Ahmed Ibn Hânbal, na primeira parte do livro, página 199, no que alude ao colóquio do Mensageiro de Deus (Deus o abençoou e a sua linhagem e os saudou), encontramos o seguinte: __ “Ainda que reste um dia neste mundo, Deus Majestoso enviará de nós, para preenchê-lo com a justiça da mesma forma que ele foi preenchido com a tirania”.

2. De acordo com o que veio no “Mosnad” de Ahmed Ibn Hânbal, segunda parte do livro, página 37, o Mensageiro de Deus (Deus o abençoou e a sua linhagem e os saudou) falou: __ “Eu vos anunciou o ‘Al-Mahdi' que será enviado da minha nação, no tempo em que as nações estiverem em desacordo e lapsos entre si, e então, ele preencherá a terra com a justiça e a equitatividade, tal qual como fora preenchida com a escuridão e a tirania, e os habitantes dos céus e da terra irão aprová-lo e contentar-se-ão com ele”.

3. De acordo com o que veio no livro intitulado por “Yanábiul Mauaddat”, isto é, “As fontes da Benevolência”, o Mensageiro de Deus (Deus abençoou e a sua linhagem e os saudou) disse: __ “Ali é o Imam de minha nação depois de mim, e de seu filho descenderá o Reformador esperado, o qual encherá a Terra com a justiça e equitatividade, da mesma forma que ela se preencheu com a tirania e a crueldade; e Aquele que me enviou, para anunciar a verdade, adverte de que os permaneceram firmes na crença de seu imamato durante a sua ausência serão como fósforo vermelho”. Quando o Profeta (Deus o abençoou e a sua linhagem e os saudou) terminou, veio Jáber Ibn Abdulláh, o Ansári, perguntou-lhe: “Ó Mensageiro de Deus, para vosso filho haverá ausência”? “Sim”, respondeu o Mensageiro, “ pois meu Senhor purificará aqueles que creram e aniquilará os apostata, ó Jáber, porque a questão pertence a Deus; portanto cuidado se duvidares, pois aquele que duvidar das determinações de Deus Protetor e Majestoso,abjura”.

4. O Mensageiro de Deus (Deus o abençoou e a sua linhagem e os saudou) disse: “O reformado, que será um dos meus filhos, terá o meu nome e suas prevalências serão iguais as minhas, e seus preceitos iguais aos meus; e fará com que as pessoas permaneçam na minha religião e na minha lei, exortando-as ao Livro de Deus, meu Senhor; pois aquele que o desobedecer, me desobedeceu; e aquele que o irritar me irritou; e aquele que renegar a sua ausência, me renegou; e aquele que o desmentir me desmentiu; e aquele que nele acreditar, me acreditou; e a Deus me queixarei dos embusteiros que me desmentirem sobre a Sua questão e dos incrédulos que duvidaram das minhas palavras sobre Seus assuntos, e dos que desviarem a minha nação do Seu caminho; e saberão os tiranos a que vicissitudes eles reverterão”. Este dito é mencionado no livro “I'lám Al-Uará”, isto é, “A informação do Oculto”, a página 425.

5. Conforme veio pelos ditos dos Imames favorecidos (A paz esteja com eles), no que aludiram aos ditames do Profeta (Deus o abençoou e a sua linhagem e os saudou) sobre os noticiários__ do Imam “Al-Mahdi” (A paz esteja com ele), citaremos: O Imam “Zein Al-Ábidin” falou: “O Empreendedor dentre nós estimulou os profetas em preceito desde nosso pai Adão, seguido pelo preceito de Noé, de Abraão, de Moises, de Issa (Jesus), de Jô e finalmente, do preceito de Mohammad, que as bênçãos de Deus estejam com eles. De Adão e Noé, veio a longevidade; de Abraão veio o envoltório da procriação e o seu afastamento das pessoas; de Moises veio o temor e a ausência; de Issa surgiu a diferenciação em relação a ele entre as pessoas; de Jô veio a bonança depois do infortúnio; porém, de Mohammad (Deus o abençoou e a sua linhagem e os saudou) veio a luta pela espada, contra os opositores do Islam, que é a religião da verdade, e a renegaram mesmo após conhecê-la.

6. Conta-se sobre o Imam “Açadeq” que disse: “Para o Empreendedor duas ausências, sendo uma delas uma curta ausência e a outra uma longa ausência. A primeira ausência desconhece e a sua posição, exceto a particularidade da seita, e a outra ausência desconhecemos a sua posição exceto a particularidade de seu Senhor (Deus)”.

O ideal sobre o Imam “Al-Mahdi” não é uma encarnação de uma idéia religiosa ou de caráter islâmico, mas sim, inspirações em que a humanidade se direcionou em todos os dogmas e diversificações religiosas, bem como, ela é uma formação a inspiração inata que fez com que as pessoas compreendessem que, apesar da variedade de suas ideologias, a humanidade terá um dia determinado sobre a terra, no qual existirá nele a justiça e a boa conduta ao gênero humano martirizado e injustiçado, onde permanecerá por fim na tranqüilidade e na paz.

Podemos afirmar com precisão de que estes sentimentos não se limitam aos fieis religiosamente falando, porém, também para os que discordam com eles, contrariando-lhes a ideologias materialistas, as quais não aceitam a ausência e o desaparecimento; para eles também haverá um dia determinado, onde terão que acertar as contas pelas suas contradições na sociedade.

Portanto, os muçulmanos crêem de que este dia realizar-se-á sem dúvida e que ele é umas promessas divinas, mencionadas no Alcorão Sagrado, conduzido por um líder divino e que este líder é representado por alguém, determinado nominal e caracteristicamente, e que ele já existiu aqui na terra, esperando a hora que Deus lhe permitisse reaparecer, a fim de divulgar o apelo a verdade e confirmar a justiça, purificando a terra do germe da tirania e do despotismo. Os “Ahadith”, isto é, “Os Colóquios” ou “As Tradições” em muito referiram sobre este assunto, chegando a ter mais de seis milhões de colóquios, onde superaram com clareza a maioria das questões, tornando-as meramente simplificadas; por isso o pensamento do Imam “Al-Mahdi” (A paz esteja com ele) entre os muçulmanos não é ideologia de reencarnação ou profecia a ser pesquisada em sua veracidade, porém, é fato real, esperado pelos muçulmanos com ansiedade e aflição, e esta espera os impele as boas ações a fim de colaborarem pelo futuro da conduta da humanidade e preparação do ambiente moral e social e suas necessidades, e predispor o surgimento do Imam “Al-Mahdi” (A paz esteja com ele).

Contudo, a credibilidade no pensamento do Imam “Al-Mahdi”, não é uma ideologia prejudicial ao movimento do homem e sua questão, sobressaindo a sua situação na submissão e silêncio pela tirania e humilhação, fazendo-o permanecer com resignação a espera do dia prometido, e meditar sobre o pensamento do “Al-Mahdi” (A paz esteja com ele) como sendo a procedência da complacência e força para a extinção do desânimo que domina a alma do homem diante da crueldade e manter a esperança acesa em seu peito por mais que venha a aumentar o infortúnio.

Entretanto, esta ideologia__ a ideologia do Imam “Al-Mahdi” (A paz esteja com ele)__ a qual esclarece sobre o Líder divino, escolhido por Deus, a fim de conduzir a Sua mensagem e que nascerá há muitos séculos atrás e permanecerá vivo até que Deus Supremo lhe permitisse o ressurgimento para a abertura e o recurso; e esta ideologia subtraiu várias perguntas, tal qual: “Como alguém pode viver tanto tempo e de que forma se livrará da lei da natureza que se impõe sobre o homem, que é a de passar pela velhice e sua fragilidade, até que a morte natural o surpreendesse?!”

Eis que respondemos a esta pergunta:

Cientificamente, e, do lado do conhecimento humano, confirmou-se de que, aparentemente, a velhice se mostra fisiológica e não temporal. Às vezes vem cedo demais outras vezes vem tardiamente para alguns, cuja faixa etária está bem adiantada, possuindo umas energias incríveis, afastando dele os sinais da senilidade, confirmada pelos cientistas, e hoje, a ciência atual tem se aproveitado das maleabilidades das leis das longevidades naturais, impostas para fazer experiências com cobaias, conseguindo vitórias para o retardamento da velhice por centenas de vezes a mais do que a faixa etária normal destas cobaias, e isto, em beneficio do homem, para encontrar a solução viável de adiar as leis da velhice, o que foi realmente confirmado cientificamente de que o adiamento do envelhecimento do ser humano não é um processo impossível, mas algo solucionável, e, em se considerando de que ele é um ser complicado, não afastaria a ciência desta questão por um grau sequer, por mais difícil que seja a pratica destas experiências, tal como a subida do homem a lua, ou a falta de possibilidade em alcançar outros astros ou estrelas, onde a ciência depara com os resultados anexados, que lhe permitem simplificá-los para realizar o alcance do objetivo deles, como o conseguiram com o empreendimento feito na lua.

Por isso, afirmamos que a diferença entre o polegar, a vida de alguns animais e o insucesso disto para com o homem, não quer dizer no parecer cientifico, de que isto seja impossível que um dia se torne realidade.

Religiosamente, o Alcorão Sagrado menciona alguns Profetas (A paz esteja com eles) que viveram longo tempo, equivalente a dezenas de vezes mais do que é devida normalmente a humanidade, dentre os quais o Profeta Noé (A paz esteja com ele) que o Alcorão Sagrado menciona em diversos versículos, tal como: “Enviamos Noé a seu povo e permaneceu entre eles mil anos exceto cinqüenta anos”. Cap. 29, versículo 14.

No que o Alcorão Sagrado mencionou sobre o Profeta de Deus, Issa Ibn Mariam Jesus (A paz esteja com ele) de que ele não morreu e vive até os nossos dias, e que Deus o ascendeu até Ele e o protegeu da morte: “E por dizerem: Matamos o Messias O filho de Maria, o Mensageiro de Deus, embora não o mataram nem o crucificaram, porém, foi-lhes simulado e aqueles discordaram quanto a isto permaneceram na dúvida e não possuíram conhecimento algum disso senão somente em conjecturas e não o mataram deveras, porém, Deus o ascendeu até Ele e Deus é O Poderosíssimo Prudentíssimo”. Cap. 4, versículo 157 e 158.

As notícias e biografias registraram nomes de povoadores que permaneceram centenas de anos, dentre os quais Al-Khader (A paz esteja come ele) que existia no tempo de Mussa Ibn Imran (Moises), o qual vive até hoje pela vontade divina, tendo uma história mencionada pelo Alcorão Sagrado quando ele se encontrava com Mussa Ibn Imran (A paz esteja com ele).

Voltando ao assunto alusivo a existência do Imam “Al-Mahdi” (A paz esteja com ele), vivo até os nossos dias, tendo hoje a idade de 1160 anos, podemos afirmar que esta longevidade já sucedeu a outros homens de bem, antes dele existir por centenas de anos, e que também vivem até os nossos dias; portanto, não há dúvida e tampouco há o que estranhar com os desígnios de Deus Supremo, se analisarmos a questão pelo lado miraculoso vindo da parte do Senhor dos céus e da terra.

Com isto, chegarmos a conclusão de que a ciência não descarta a questão e que a doutrina confirma em sua perfeição e realização, de que a concreta veracidade diz que “a genuína ciência não se contradiz com a religião da verdade”.

Genitivo a tudo isto, existe a Vontade de Deus, que determinou a linha daqueles boníssimos e preferíveis homens para fins sagrados, desconhecendo-lhes os segredos exceto Deus Glorificado, e não há a menor dúvida de que a doutrina antecedeu a ciência e os resultados de suas realizações, por séculos; pois o Alcorão Sagrado nos menciona sobre a vida de Abraão (A paz esteja com ele) quando ele ficara exposto ao perigo, ao ser jogado pelos gigantes de Nimrod, no fogo inflamado e terrivelmente aceso, e então, interveio a Vontade divina pra salvar Abraão (A paz esteja com ele), contrariando as leis da natureza, transformando a temperatura máxima para uma temperatura mínima, enquanto se ouvia o Vocativo divino: “... ó fogo, seja frescor, e poupa a Abraão!” Alcorão Sagrado Cap. 21 versículo 69. E assim, Abraão saiu ileso daquele fogo destruidor, através do milagre divino, e Deus Supremo o protegeu de todo o mal a fim que ele possa praticar a sua missão e guiar a humanidade aos caminhos de Deus e destruição dos ídolos e realizar a embreagem de Sua mensagem divina exortando os homens a unicidade total de Deus Supremo, e depois, Deus ordenou construir a Casa Sacramental (A Caaba), a qual tornou-se deste então__ e assim permanecerá até o Dia do Juízo Final__ um dos símbolos da unicidade, visitada e peregrinada anualmente por milhões de muçulmanos, que se tornaram hospedes do Clementíssimo.

Das bênçãos do Profeta Abraão (A paz esteja com ele), ramificaram-se em duas genealogias purificadas, passando a ser chamado de “O Pai dos Profetas”, tendo de sua esposa Hágar, a qual lho concebeu o Profeta Ismail (A paz esteja com ele) e que dele surgiu a genealogia do Mensageiro de Deus (Deus o abençoou e a sua linhagem e os saudou), últimos dos Profetas Mohammad Ibn Abdallah e os dozes Imames (A paz esteja com eles) seus sucessores; e da outra esposa Sarah, que lho concedeu o Profeta Isaac (A paz esteja com ele) que dele surgiu a genealogia do Profeta Issa, o Messias (A paz esteja com ele); e quiça seja a prudência divina de que o 12º Imam seja o último sucessor do Mensageiro de Deus venha a descender por parte de pai, da genealogia de Ismail (A paz esteja com ele) e, por parte de mãe a genealogia de Simão “A Pedra”, um dos discípulos do Messias (A paz esteja com ele).

Tudo isto, provenientes das bênçãos do Profeta Abraão (A paz esteja com ele), salvo por Deus, milagrosamente, isto é, de forma inédita; e já que estamos tratando de fatos religiosos que antecederam e prevaleceram a ciência, lembramos de que o Alcorão Sagrado faz menção sobre o Profeta Mohammad (Deus o abençoou e a sua linhagem e os saudou) no que alude a sua Viagem Noturna da Mesquita Sagrada de Meca até a Mesquita em Jerusalém, e isto de acordo com a revelação de Deus Supremo: “Glorificado Aquele que transportou seu servo durante a noite, da Mesquita de Meca até a Mesquita de Al-Aqça, a qual benzemos a fim de mostrar-lhe algo de nossos versículos, pois Ele é o Oniouvinte, o Onividente”. Alcorão Sagrado Cap.17 versículo 1.

Esta Viagem Noturna escarneceu das leis da natureza, antes que a ciência conseguisse realizá-la centenas de anos depois, no que entendemos da estrutura das leis da natureza e penetração da gravidade.

Já ocorreram dezenas de acontecimentos aos Profetas (A paz esteja com eles), enviados e devotos a Deus, os quais confirmaram que Deus Glorificado e Supremo desviou as leis da natureza e as desprezou a fim de protegê-lo contra as iras dos inimigos, para que eles possam dar prosseguimento a sua missão divina até chegarem onde nada possa desabonar as suas mensagens.

Deus fez o mar se abrir para proteger Mussa Ibn Imran (Moises -A paz esteja com ele) da ira do Faraó e seus soldados.

Deus fez os romanos acreditarem que aprisionaram Issa Ibn Mariam (Jesus- A paz esteja com ele), porém, eles capturaram outro que se assemelhava com ele, salvando-o de suas mãos.

Religiosamente, o Alcorão Sagrado menciona alguns Profetas (A paz esteja com eles) que viveram longo tempo, equivalente a dezenas de vezes mais do que é devida normalmente a humanidade, dentre os quais o Profeta Noé (A paz esteja com ele) que o Alcorão Sagrado menciona em diversos versículos, tal como: “Enviamos Noé a seu povo e permaneceu entre eles mil anos exceto cinqüenta anos”. Cap. 29, versículo 14.

No que o Alcorão Sagrado mencionou sobre o Profeta de Deus, Issa Ibn Mariam Jesus (A paz esteja com ele) de que ele não morreu e vive até os nossos dias, e que Deus o ascendeu até Ele e o protegeu da morte: “E por dizerem: Matamos o Messias O filho de Maria, o Mensageiro de Deus, embora não o mataram nem o crucificaram, porém, foi-lhes simulado e aqueles discordaram quanto a isto permaneceram na dúvida e não possuíram conhecimento algum disso senão somente em conjecturas e não o mataram deveras, porém, Deus o ascendeu até Ele e Deus é O Poderosíssimo Prudentíssimo”. Cap. 4, versículo 157 e 158.

As notícias e biografias registraram nomes de povoadores que permaneceram centenas de anos, dentre os quais Al-Khader (A paz esteja come ele) que existia no tempo de Mussa Ibn Imran (Moises), o qual vive até hoje pela vontade divina, tendo uma história mencionada pelo Alcorão Sagrado quando ele se encontrava com Mussa Ibn Imran (A paz esteja com ele).

Voltando ao assunto alusivo a existência do Imam “Al-Mahdi” (A paz esteja com ele), vivo até os nossos dias, tendo hoje a idade de 1160 anos, podemos afirmar que esta longevidade já sucedeu a outros homens de bem, antes dele existir por centenas de anos, e que também vivem até os nossos dias; portanto, não há dúvida e tampouco há o que estranhar com os desígnios de Deus Supremo, se analisarmos a questão pelo lado miraculoso vindo da parte do Senhor dos céus e da terra.

Com isto, chegarmos a conclusão de que a ciência não descarta a questão e que a doutrina confirma em sua perfeição e realização, de que a concreta veracidade diz que “a genuína ciência não se contradiz com a religião da verdade”.

Genitivo a tudo isto, existe a Vontade de Deus, que determinou a linha daqueles boníssimos e preferíveis homens para fins sagrados, desconhecendo-lhes os segredos exceto Deus Glorificado, e não há a menor dúvida de que a doutrina antecedeu a ciência e os resultados de suas realizações, por séculos; pois o Alcorão Sagrado nos menciona sobre a vida de Abraão (A paz esteja com ele) quando ele ficara exposto ao perigo, ao ser jogado pelos gigantes de Nimrod, no fogo inflamado e terrivelmente aceso, e então, interveio a Vontade divina pra salvar Abraão (A paz esteja com ele), contrariando as leis da natureza, transformando a temperatura máxima para uma temperatura mínima, enquanto se ouvia o Vocativo divino: “... ó fogo, seja frescor, e poupa a Abraão!” Alcorão Sagrado Cap. 21 versículo 69. E assim, Abraão saiu ileso daquele fogo destruidor, através do milagre divino, e Deus Supremo o protegeu de todo o mal a fim que ele possa praticar a sua missão e guiar a humanidade aos caminhos de Deus e destruição dos ídolos e realizar a embreagem de Sua mensagem divina exortando os homens a unicidade total de Deus Supremo, e depois, Deus ordenou construir a Casa Sacramental (A Caaba), a qual tornou-se deste então__ e assim permanecerá até o Dia do Juízo Final__ um dos símbolos da unicidade, visitada e peregrinada anualmente por milhões de muçulmanos, que se tornaram hospedes do Clementíssimo.

Das bênçãos do Profeta Abraão (A paz esteja com ele), ramificaram-se em duas genealogias purificadas, passando a ser chamado de “O Pai dos Profetas”, tendo de sua esposa Hágar, a qual lho concebeu o Profeta Ismail (A paz esteja com ele) e que dele surgiu a genealogia do Mensageiro de Deus (Deus o abençoou e a sua linhagem e os saudou), últimos dos Profetas Mohammad Ibn Abdallah e os dozes Imames (A paz esteja com eles) seus sucessores; e da outra esposa Sarah, que lho concedeu o Profeta Isaac (A paz esteja com ele) que dele surgiu a genealogia do Profeta Issa, o Messias (A paz esteja com ele); e quiça seja a prudência divina de que o 12º Imam seja o último sucessor do Mensageiro de Deus venha a descender por parte de pai, da genealogia de Ismail (A paz esteja com ele) e, por parte de mãe a genealogia de Simão “A Pedra”, um dos discípulos do Messias (A paz esteja com ele).

Tudo isto, provenientes das bênçãos do Profeta Abraão (A paz esteja com ele), salvo por Deus, milagrosamente, isto é, de forma inédita; e já que estamos tratando de fatos religiosos que antecederam e prevaleceram a ciência, lembramos de que o Alcorão Sagrado faz menção sobre o Profeta Mohammad (Deus o abençoou e a sua linhagem e os saudou) no que alude a sua Viagem Noturna da Mesquita Sagrada de Meca até a Mesquita em Jerusalém, e isto de acordo com a revelação de Deus Supremo: “Glorificado Aquele que transportou seu servo durante a noite, da Mesquita de Meca até a Mesquita de Al-Aqça, a qual benzemos a fim de mostrar-lhe algo de nossos versículos, pois Ele é o Oniouvinte, o Onividente”. Alcorão Sagrado Cap.17 versículo 1.

Esta Viagem Noturna escarneceu das leis da natureza, antes que a ciência conseguisse realizá-la centenas de anos depois, no que entendemos da estrutura das leis da natureza e penetração da gravidade.

Já ocorreram dezenas de acontecimentos aos Profetas (A paz esteja com eles), enviados e devotos a Deus, os quais confirmaram que Deus Glorificado e Supremo desviou as leis da natureza e as desprezou a fim de protegê-lo contra as iras dos inimigos, para que eles possam dar prosseguimento a sua missão divina até chegarem onde nada possa desabonar as suas mensagens.

Deus fez o mar se abrir para proteger Mussa Ibn Imran (Moises -A paz esteja com ele) da ira do Faraó e seus soldados.

Deus fez os romanos acreditarem que aprisionaram Issa Ibn Mariam (Jesus- A paz esteja com ele), porém, eles capturaram outro que se assemelhava com ele, salvando-o de suas mãos.

E quando o Profeta Mohammad (Deus o abençoou e a sua linhagem e os saudou) saiu de sua casa em Meca, mesmo sitiada pelos coraixitas, seus inimigos, os quais conspiravam derramar-lhe o sangue e matá-lo, Deus interveio e o protegeu de seus olhares saindo dali, de conformidade com a revelação de Deus: “E lhe colocamos uma barreira na frente deles e uma barreira atrás deles e lhe ofuscaremos a vista para que não possam enxergar” Alcorão Sagrado Cap. 36 versículo 9.

E assim o Mensageiro de Deus (Deus o abençoou e a sua linhagem e os saudou) prosseguiu em seu caminho rumo a Medina, mas durante o trajeto precisou se esconder na gruta com seu amigo que o acompanhava; e eis que interveio a Providência Divina... a vontade de Deus, quando uma aranha teceu a sua teia na entrada da gruta, vedando-a por completo, e, quando os seus inimigos,aliados de Coraich chegaram ali enquanto ouvia-os confabulando entre si e seu coração nada temia pois estava totalmente preso a Deus.

O Alcorão Sagrado registrou este acontecimento: “Se não o socorrerdes, Deus o socorrerá, como fez com os incrédulos o desterraram. Quando estava na caverna com um companheiro, disse-lhe: Não te aflijas, porque Deus está conosco! Deus infundiu nele o sossego, confortando-o com tropas celestiais que não poderíeis ver, rebaixando ao mínimo as palavras dos incrédulos, enaltecendo ao máximo as palavras de Deus, porque Deus é Poderoso, Prudentíssimo. Cap. 9 versículo 40.

Assim sendo, o Mensageiro de Deus (Deus o abençoou e a sua linhagem e os saudou) saiu dali depois, envolto com a proteção de Deus, para depois chegar a Medina, onde fundou o Estado Islâmico do Direito; que se difundiu a sombra de sua justiça no mundo inteiro.

Finalmente, podemos também afirmar de que a Vontade Divina determinou os caminhos do último dos sucessores do Mensageiro de Deus (Deus o abençoou e a sua linhagem e os saudou), o 12º Imam “Al-Mahdi”, o esperado (Que Deus apresse o seu ressurgimento) ao qual o agraciou com a longevidade a fim de empenhar o seu papel no estabelecimento do Estado Islâmico Mundial do Direito, que o Mensageiro de Deus (Deus o abençoou e a sua linhagem e os saudou) fundou, para iluminar a humanidade em sua última existência sob o estardante do direito e da justiça e se beneficiar com a segurança, a tranqüilidade, a concórdia e a paz.

É deveras da sabedoria divinal que seja determinado nos caminhos da humanidade, através da história que haja somente duas pessoas para a formação da civilização divina, apesar do afastamento desta mesma humanidade de Deus; apesar das ruínas das civilizações perversas que assolaram a humanidade com as calamidades, as privações, os encantos e a ruína. Dois homens cuja longevidade foi muito além da faixa etária normal, sendo um deles desenvolveu o seu papel no passado da humanidade e que foi o Profeta Noé (A paz esteja com ele), que reconstruiu o mundo após o dilúvio; e o outro, desenvolverá o seu papel no futuro da humanidade e que ele é o Imam “Al-Mahdi” (A paz esteja com ele) o qual preencherá o mundo com a justiça tal como ela se preenchera de crueldades e despotismo.

Os muçulmanos no tempo da ausência

No início da missão islâmica, os muçulmanos honravam a risca os ensinamentos do Mensageiro de Deus (Deus o abençoou e a sua linhagem e os saudou) quando se tratava de seus governos e legislações que encerravam os seus conceitos morais e religiosos, porque o Mensageiro de Deus (Deus o abençoou e a sua linhagem e os saudou) é considerado a segunda procedência para a legislação depois do Alcorão Sagrado, e depois que o Mensageiro de Deus partiu ao encontro de Deus Supremo, a nação islâmica procurava os Doze Imames que o Mensageiro de Deus (Deus o abençoou e a sua linhagem e os saudou) designou como seus sucessores, imames e líderes depois dele, iniciando-se com Ali Ibn Abi Táleb (A paz esteja com ele) cognominado por Príncipe dos Crentes sendo o:

2º Imam Al-Hassan Ibn Ali “Al-Mujtabehân” (O comparador).

3º Imam Al-Hussein Ibn Ali “Sayed Al-Chuhadá” (Senhor dos mártires).

4º Imam Ali Ibn Al-Hussein “Zein Al-Ábidin” (Formosura dos devotos).

5º Imam Mohammad Ibn Ali “Al-Báquer” (O Erudito).

6º Imam Jaafar Ibn Mohammad “Açadeq” (O Verídico).

7º Imam Mussa Ibn Jaafar “Al-Cázem” (O Silencioso).

8º Imam Ali Ibn Mussa “Al-Reda” (O Contentamento).

9º Imam Mohammad Ibn Ali “Al-Jauád” (O Generoso).

10º Imam Ali Ibn Mohammad “Al-Hádi” (O Orientador).

11º Imam Al-Hassan Ibn Ali “Al-Ascari” (Nascido em Ascar).

12º Imam Mohammad Ibn Al-Hassan “Al-Mahdi” (O Guia).

A paz esteja com todos eles.

O grupo dos Imames completou-se com o 12º Imam, todos mencionados pelo Mensageiro de Deus (Deus o abençoou e a sua linhagem e os saudou) em diversas ocasiões; e quando o imamato chegou até o último dos sucessores do Mensageiro de Deus, que o 12º Imam, e que, devido a conspiração de seus inimigos, os quais pretenderam assassiná-lo, Deus o ocultou e o ausentou dos olhares de todos; e o Imam “Al-Mahdi” (A paz esteja com ele) passou a se comunicar somente com seus assessores especiais os quais eram a única conexão entre ele e os muçulmanos, seu seguidores. Estes assessores formaram o total de quatro, que reuniam os muçulmanos pela sua devoção e fé, sendo iniciada tal conexão em 260 da Hijra e que são:

1º Assessor foi Othmán Ibn Said Al-Umari, servindo-o por 5 anos;

2º Assessor foi Mohammad Ibn Othmán Ibn Said Al-Umari, servindo-o por 40 anos;

3º Assessor foi Al-Hussein Ibn Ruh' Al-Noubkhati que o assessorou durante 21 anos;

4º O último assessor, foi Abu Al-Hassan Ali Ibn Mohammad Al-Samari, que assessorou por apenas três anos.

Assim sendo, o assessoramento termina com o 4º embaixador no ano 329 da Hijra, conforme foi mencionado anteriormente, prolongando-se por quase setenta anos, deixando a nação islâmica preparada para a Grande Ausência; e o Imam “Al-Mahdi” deixou um livro, onde esclarece nele sobre a delegação geral e a quem cabe.

Sobre a questão a quem os muçulmanos deverão honrar e recorrer, o Imam “Al-Mahdi” (A paz esteja com ele) disse:

__ “A reverência deverá ser concebida aquele que faz parte dos jurisconsultos e que se previne e se conserva em sua doutrina, e contrária as próprias paixões, obediente ao seu Senhor e é dever que todos o imitassem__ isto é, todos deverão procurá-lo para a solução de seu problemas sejam eles quais forem”.

E foi a partir daí que os sábios se empenharam nos palcos da vida islâmica, praticando seu papel como Guias para a nação, a fim que os muçulmanos possam viver e enfrentar as situações mais inquietantes na sociedade islâmica alusiva ao campo ideológico e legislativo, de acordo com o que determina o Islam sobre os muçulmanos, procurando os sábios estudiosos, os quais despenderam as intenções de seus estudos na aplicação das sentenças legislativas, cultivadas de sua procedência básica (o Alcorão Sagrado e o Preceito do Mensageiro de Deus).

E chamou-se este ato despendido pelos sábios para o conhecimento das sentenças legislativas, de “Al-Ijtihad”, isto é, “A Aplicação”, e aquele que alcança a escala desta magnífica ciência, se denomina de “Al-Mujtahid”, ou seja, “O Estudioso” ou “Aplicado”, assim pois, o Islam determina aos muçulmanos, de guiarem pelos sábios e teólogos “estudiosos” para a orientação de seus problemas do dia-a-dia, e este procedimento se chama no termo da jurisprudência de “Attaqlid”, isto é, “A Tradição”; e com isto, os muçulmanos se beneficia com a aprovação de Deus e a segurança contra as deturpações e o afastamento da religião e, por esta luz, aquele que não for aplicado ou tradicional, seus atos serão considerados vãos e inúteis, porque não se basearam na sapiência, no sobreaviso e no conhecimento.

Os livros da erudição mencionaram a descrição dos sábios bem-vindos, para levarem esta fidelidade e que descrevemos algo deles.

“É o esclarecimento no campo do conhecimento da religião, do Alcorão Sagrado, do colóquio “Hadis” do idioma e da justiça alusiva ao abandono do ilícito e o cumprimento das obrigações, e, para que não exista uma humanidade infeliz no mundo e tampouco cobiça-lo seja no prestigio, seja financeiramente, porém, que se distinga no júbilo do bom caminho e da boa índole, para que seja lembrado como um homem correto e idôneo, desde o nascimento, puro e devoto... enfim, principalmente de boas qualidades”.

E assim, os sábios continuaram a ativar esta função por imposição divina, sutil e grave, com total lealdade e fidelidade os quais eram deveras as tochas da luz e a orientação do povo, suportando toda sorte de revezes em prol de sua missão, enfrentando com força e coragem os tiranos e poderosos; e por outro lado, estes sábios tinham o apoio total dos fieis necessários, os quais também muito sacrificaram por isto e por serem também seu braço forte passaram a ser o modelo máximo a humanidade por defenderem a verdade e a virtude.

Os sinais do aparecimento e saída do Imam e seu abençoado renascimento

Nós aludimos aos sinais e indícios que ocorrerão antes do aparecimento do Imam “Al-Mahdi” (A paz esteja com ele) e o que os acompanhara no que trata de conhecimentos que os livros de “Al-Hadis”, isto é “Os Colóquios” ou “A Tradição” registraram.

1. O alastramento da tirania, da crueldade, da violência e da devassidão e perversão dos costumes, e, principalmente o enfastiamento em geral, inclusive tudo isto até entre os próprios muçulmanos, que se utilizam às bebidas alcoólicas e das drogas publicamente; e o relacionamento com os demais com a usura e o estelionato para a aquisição das fortunas ilícitas. Por outro lado o alastramento do adultério e da sodomia (homossexualismo) e a prática de tudo que é abominável e indigno abolindo e perdendo a castidade, a saúde, a vergonha e o pudor; e as mulheres se mostrando indecentemente em suas indumentárias e sem o véu (hijab); e os homens se travestido em mulheres e as mulheres agindo masculinizadas em todos os sentidos, moral, social e sexualmente; e a cada dia aumenta-se a coragem na prática do ilícito, isto é, tudo que e contrário a moral e ao direito, deixando de lado as obrigações divinas e preenchendo os corações com as ilusões, o logro, a fraude e a falsidade (é a exibição de fé e devoção diante das pessoas enquanto escondem a abjuração e a apostasia); a falsa filantropia (é o empenho na prática do bem. Não pela fé e dedicação a Deus, mas para se engrandecer diante das pessoas); a fundação de seitas (é o acréscimo de algo da religião sem ser a própria doutrina, e fundação de uma nova crença); a critica (é a critica ofensiva e caluniadora do fiel sobre aquilo que ele detesta); o falso testemunho (é a acusação do inocente recriminando-o daquilo que ele não praticou).

E assim, a tirania prevalece e os tiranos tornam-se indiferentes e desinteressados com os problemas e valores monetários das pessoas, deixando ocorrerem os fatos sobre si mesmo, solucionando-os com favores, levando as pessoas a ingratidão pelos favores__ e isto é o mal dos tempos__ e contudo os fieis e devotos são humilhados e escarnecidos, alastrando-se a apostasia e o ateísmo sem religião, sem a prática pelo Islam e o Alcorão Sagrado.

Os filhos passarão a enfrentar seus pais desrespeitosamente e com total desinteresse; e o menor, e se interrompe a conexão das compaixões e comiserações, e não pagam o “quinto” do tributo e o donativo, gastando-o em futilidades, prevalecendo o parecer dos estrangeiros, dos apostatas, dos ateus e dos depravados sobre os muçulmanos, os quais acabam tomando-os como modelos, imitando-lhes o linguajar, os costumes e até o modo de se vestir e se enfeitar, e, se fossem criticados, defendem-se com atrevimento, arrogância e insolência, sem se importarem com a própria religião e os princípios de seus preceitos, aviltando, menosprezando e depreciando Deus declaradamente, juntamente com os Profetas e Mensageiros, sem se importarem com a Sua ira, fazendo inclusive pouco caso dos lugares sagrados.

Desvairadamente, aumentarão os crimes e o derramamento de sangue e se gastarão fortunas inutilmente para a ruína dos países e a terra então, se tornará improdutiva.

O mundo presenciará as piores catástrofes, escândalos e calamidades, que as grandes potências se reverterão e virão criaturas cósmicas avançadas tecnologicamente e implantarão o terror e o desespero provocados pelas organizações governantes, e o povo então, passará a viver em debates ideológicos e religiosos se distinguirá entre as pessoas uma situação diversa a que estariam vivendo, e se encaminharão as necessidades da religião e se agarrarão aos valores virtuosos e se exortarão entre si a religião da verdade reivindicando a permanência da justiça, e passarão a agir de acordo com a religião de Deus e seus limites, firmes e sem temor,seja de quem for, e jamais se desviarão do caminho da verdade, tendo o coração tal qual o ferro, por causa da força de sua devoção a Deus e não mais temerão a morte, porém, a anelariam a fim de se encontrarem com Deus; e tudo farão para que se estabeleça um Estado islâmico a fim que permaneçam os limites de Deus na terra, para que com isto cheguem ao Estado governado pelo Imam “Al-Mahdi” (A paz esteja com ele).

Eis que citaremos algo do que fora mencionado pelo Mensageiro de Deus (Deus o abençoou e a sua linhagem e os saudou) no Al-Hádis Acharíf, isto é, no “Colóquio Nobre”:

__ “Virá um povo do Oriente, portadores de negros estardante, os quais procurarão o bem e quando este lhes for negado, lutarão e vencerão e conseguirão o que pretenderem, e só aceitarão até que seja entregue a um homem, descendente da minha linhagem, e então, ele preencherá o mundo com a justiça tal como o preencheram com a tirania; e aquele que compreender isto, virá até eles, nem que rasteje sobre a neve”.

__ “Virá um povo do Oriente e se preparará para o Al-Mahdi”.

__ “Virá um homem e irá preparar__ firmará__ para a Linhagem de Mohammad, tal como se preparou Coraich para o Mensageiro de Deus e foi um dever a todo crente que o defendesse e o fizesse vencedor”.

Enfim, o estabelecimento de um Estado de justiça e da verdade é necessário, tanto pela razão antes do que pela lei, porque o confronto das sentenças divinas e os limites legais se baseiam nele.

2. O chamado celestial é mais um dos sinais que ocorrerá antes do surgimento do Imam “Al-Mahdi” (A paz esteja com ele), quando se ouvirá um grito estrondoso do anjo Gabriel, entre o céu e a terra, que o mundo inteiro ouvirá, do Oriente ao Ocidente, e cada pessoa o entenderá de acordo com seu próprio idioma, chamando pelo nome do Restaurador e seu pai, ordenando os povos a apoiarem o Imam (A paz esteja com ele) para se orientarem com ele e acatarem o seu governo, para não se extraviarem e para que se confirme o direito do Imam e seus assessores, defensores e dogmas.

3. O que acompanhará os acontecimentos do aparecimento do Imam “Al-Mahdi” (A paz esteja com ele) é a descida a terra do Messias Issa Ibn Mariam (A paz esteja com ele), o qual prosseguirá com o Imam e o fará um vencedor, chamando os cristãos para seguí-lo.

Num dos colóquios do Profeta Mohammad (Deus o abençoou e a sua linhagem e os saudou) com sua filha Fátima “Azzahra” (A paz esteja com ela), ele disse: “Será um dos nossos__ Por Deus Onipotente!__ o “Mahdi”, orientador desta nação, o qual, atrás dele, orará Issa Ibn Mariam”.

Estabelecimento do Estado do Imam “Al-Mahdi”

Coleções de livros que mencionaram os Imames (A paz esteja com eles), afirmam de que o Imam “Al-Mahdi” (A paz esteja com ele) ressurgirá depois de uma longa ausência, em Meca, ao lado da Caaba, portando o estardante do Mensageiro de Deus (Deus o abençoou e a sua linhagem e os saudou) e sua espada, vestindo a sua vestimenta e seu turbante e os anjos prontos para a sua defesa e vitória enquanto que ele se levanta colérico, reivindicante, vingando os oprimidos e guerreando com os inimigos de Deus e do Islam, e seus companheiros o apoiando desde Meca e Medina e todos eles dos mais valentes e tementes a Deus, totalmente dedicados a sua meta, acatando-o, saindo dali vencedores e se dirigindo em direção ao Iraque, entrando depois em Cufá, onde se estabelecerá a sede de seu governo justíssimo e Cufá se tornará a sua Capital como fora no califado de seu ancestral, o Príncipe dos Crentes, Ali Ibn Abi Táleb (A paz esteja com ele); e depois, Deus lhe abrirá a parte Oriental e a parte Ocidental do mundo, a fim de expandir o Islam e o lacrasse pelos cantos do Universo, renovando a vida doutrinária, encaminhando a humanidade com as bênçãos de Deus através de Seu livro e preceito de Seu profeta, e assim, doravante, a terra tornar-se-á abençoada e produtiva, aumentando as suas bênçãos, e com isto, dissipar-se-á a pobreza e todos viverão felizes e tranqüilos, e periodicamente, o povo se dirigirá a Cufá e muitos quererão permanecer nela a fim de se avizinharem com o Imam (A paz esteja com ele), como também irão construir uma imensa Mesquita com mil portas, para todos possam entrar e orar, imitando o Grande Imam (A paz esteja com ele).

E sob o seu justíssimo governo, todos tornar-se-ão confiantes sem a necessidade de alguém cobrar alguém, ou deter o seu próximo por causa da ganância pleiteando possuir o que ele tem; inclusive, os livros mencionam de que a mulher transitará pelas ruas ou viajará para longas distâncias enquanto estiver portando ou se enfeitando com suas pedras preciosas, sem que haja alguém para molestá-la ou assaltá-la, como não mais haverá quem se lhe ambicionasse a sua herança.

No ressurgimento do Imam (A paz esteja com ele), a promessa de Deus a seus devotos se realizará e eles herdarão a terra e tudo que nela houver, e explodirão as fontes do conhecimento e da sabedoria através do Imam (A paz esteja com ele) e a humanidade, passará a viver no auge de sua grandeza pelo saber e evolução tecnológica e industrial, tal como se mencionou sobre o Imam “Al-Báquer”: “... e se nos levantarmos, levantará conosco a questão de Deus e Ele colocará a Sua mão sobre as cabeças dos devotos, unificando os seus cérebros para a realização de seus sonhos...”; o que significa, que a sociedade chegará a perfeição em todos os sentidos.

O Imam Jaafar “Açadeq” falou: “O saber é composto de vinte e sete partículas__ grau e colocação__ e tudo que os Mensageiros trouxeram, foi somente duas partículas, que até hoje, as pessoas só conhecem estas duas partículas, porém, se o nosso Restaurador vier, trará as vinte e cinco partículas e as difundirá entre as pessoas, unindo-as as duas partículas, totalizando as vinte e sete partículas”.

Contudo, o futuro da humanidade só se revelará no dia em que ele se saciar com a justiça e a justeza sobre a sociedade humana em geral, convivendo com a paz, o amor, a afinidade e a pureza, e serão guiados pela virtude e a integridade, e se unirão sob o estardante da Unicidade e do Islam; e não haverá nem guerras e nem encantos; e tudo isto se realizará pela vontade das pessoas e sua aliança entre si, para a comprovação do raciocínio e do conhecimento, que a regeneração não se realizará através de governos e organizações materialistas, que até hoje só levou a humanidade para o desespero e as tragédias.

Links Relacionados
Palavras Iluminadas

“Não mostre alegria pelo mal de seu irmão, pois Deus terá misericórdia dele e transferirá o mal para você.” Imam Jafar Assadeq (A.S.)


ARBIB - Associação Religiosa Beneficente Islâmica do Brasil - Departamento de Comunicação
Todos os direitos reservados à ARBIB - A reprodução é permitida, desde que citada a fonte