Março / 2019
DSTQQSS
0102
03040506070809
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31
Não foi encontrado nenhum registro para o mês de Março
IslamNahjul BalaghaCartas
Carta 40 a 79.
Carta 40 a carta 79 do Nahjul Balagha.

CARTA 40
Para um oficial

"Agora vim a saber algo sobre ti que, se for verdade que assim procedeste, então desagradaste a Deus , desobedeceste teu Imam e traíste a sua confiança.
Vim a saber que devastaste o solo , deste fim a tudo que esta sob os teus pés e devoraste tudo o que estava m tuas mãos. Envia-me a tua prestação de contas e fica sabendo que a prestação de contas a Deus será mais acurada do que a que é feita às pessoas."


CARTA 41 Para um oficial

"Fiz de ti um parceiro na minha confiança e tornei-te o meu braço direito. E quanto a mim, nenhuma outra pessoa do meu parentesco era mais confiável do que tu, em matéria de ser solidário comigo, ajudar a amenizar as minhas responsabilidades. No entanto, quando viste que o tempo atacara o teu primo, o inimigo lhe declarara guerra, a custódia das pessoas estava sendo desrespeitada e toda a comunidade estava sem rumo e desunida, destes as costas ao teu primo e o desertaste, o abandonaste e o traíste como os outros o fizeram. Aí, não demonstraste solidariedade , tampouco amenizaste as minhas rsponsabilidades. Parece que é como se não quisesses (aprazer) a Deus com o teu Jihad e como se não estivesses nas boas graças de Deus, como se estivesses trapaceando com as pessoas para ganhares este mundo , espreitando seu momento de nigligência a fim de usurpares o seu quinhão dos bens. Tão logo foi possível apropriar-te indevidamente do crédito das pessoas, te apressaste com o expediente e deste um rápido bote para abarcares o que podias das propriedades destinadas às viúvas e aos orfãos , tal qual um lobo abarca uma cabra indefesa. Então, alegremente encheste com isso o Hijaz sem sentires culpa alguma pela apropriação(indébita).
Que a maldição de Deus esteja com a tua malquerência; foi como se estivesse enviando para a tua família aquilo que herdaste do teu pai e da tua mãe.
Glorificado seja Deus. Por acaso não crês no dia do julgamento ou não temes a exação da prestação de contas ? Ó tu, que eras tido por entre os sábios , como podes desfrutar da comida e da bebida quando sabes que estás comendo e bebendo do ilícito?
Estás atrás das escravas e desposando as mulheres com o dinheiro dos orfãos, dos pobres , dos crentes e dos participantes do jihad para os quais Deus destinou esse dinheiro e com ele põs estas cidades nos eixos. Teme a Deus e restitui essas coisas às pessoas . Se assim não fizeres e se Deus me conceder poder sobre ti, desculpar-me-ei diante de Deus sobre ti e te golpearei com a minha espada , apesar de que jamais golpeei alguém , a não ser aquele que quisesse ir para o inferno. Por Deus, que se Hassan e Hussein tivessem feito o que tu fizeste não iria haver piedade para com eles , da minha parte, e eles não iriam ter paz comigo até que eu tivesse recuperado deles o direito e destruído o erro produzido pelas suas ações injustas.
Juro por Deus que eu não ficaria satisfeito em considerar como lícito o dinheiro do qual te apropriaste e não o deixaia, como rehança para os meus sucessores. Tem consciência e considera por um pouco, como se tivesses chegado ao fim da vida e tivesses sido sepultado.
Aí as tuas ações são apresentadas a ti, no lugar onde o opressor clama "ai!" , enquanto que aquele que desperdiçou sua vida deseja retornar , mas não haverá saída."


CARTA 42
(Para Omar Ibn Abi Salma Al Makhzumi, que governava o Bahrein e foi destituido por Amrul Muminin que colocou Numan Ibn AjLan Az Zuraqi em seu lugar).

"Eis que coloquei Nman Ibn Ajlan Az Zuraqi em Bahrein e te aliviei dessa posição sem (saber) de nada ruim de ti, nem como uma punição, porque lograste bem manejar o governo e bem cumrir com tuas obrigações . Portanto, vem a mim, uma vez que não estás sob suspeita não serás exprobado, tampouco censurado ou tido como culpado. Tenho somente a intençãode manobrar rumo aos recalcitrantes da Síria e deseje que estivesses aqui comigo, porque estás entre os que são de confiança no combate ao inimigo e que erigirão os pilares da fé, se Deus quiser."


CARTA 43
Para Maskala Ibn Hubaira Ax Xibani , governador de Ardachir Khurra

"Vim a saber acerca de um assunto (teu), e se for verdade que assim procedeste, desagradaste a Deu e enfureceste o teu Imam. Estás distribuindo entre os árabes, teus aparentados, que estão de olho no dinheiro que os muçulmanos coletaram por meio de suas lanças e seus cavalos, no que seu sangue foi derramado. Por Deus, que faz germinar as sementes e cria os seres viventes, se isso for verdade, serás humilhado em breve, e teu peso se tornará leve. Portanto , não trates levianamente as obrigações para com Deus e não queiras reformar o mundo por meio de arruinares a tua religião, se é que não queres estar entre os perdedores .
Fica sabendo que os direitos desses muçulmanos que estão em torno de ti e de mim , com respeito a esse dinheiro , são iguais.
Por essa razão , eles vêm a mim e tomam dele ( o que lhes é de direito).


CARTA 44
(Escrita para Ziad, filho de pai desconhecido, quando Amirul Muminin soube que Muawiya lhe tinha escrito para o enganar, tentando vinculá-lo a si próprio, em parentesco).

"Tomei conhecimento de que Muawiya te escreveu para te enganar e para ofuscar a tua inteligência.Deves te por de guarda contra ele pois que é o Satã que aborda o crente pela frente e por trás , pela direita e pela esquerda, para apanhá-lo de surpresa no seu momento de descuido e assenhorar-se da sua inteligência.
Nos tempos de Omar , Abu Sufian costumava apresentar um ponto impensado, que nada mais era do que uma maligna sugestão de Satã , resultando que nem o parentesco era estabelecido, nem a denominação da sucessão ocorria. aquele que se dá a isso é como a pessoa não convidada para uma festa ou como uma taça bamboleante ( atada a uma sela)."

Quando Ziad leu esta carta, disse: "Por Deus, ele a testificou !"
Esse assunto permaneceu na sua mente, até que Muawiya o nomeou
( como seu irmão, por parte de pai).
(Nota de Sayyd Radhi : a expressão de Amirul Muminin "al wághil" significa o homem que se junta a um grupo de beberrões para com eles beber, mas não é um deles. Ele é , portanto, ou deixado de lado, ou empurrado para fora . Qaunto as palavras "Naut ul Muzabzab" quer dizer uma xícara ou cuia amarrada à sela do cavaleiro, que balança quando este dirige o animal ou acelera o galope).


CARTA 45
(Quando soube que pesoas de Basra haviam convidado Othan Ibn Hunaif , governador do local, para um banquete e ele aceitara , escreveu-lhe).

"Ó Ibn Hunaif, vim a saber que um jovem de Basra te convidou a uma festa e tu mais que depressa a ela foste. Comidas de diferentes espécies foram selecionadas para ti e terrinas e mais terrinas te foram apresentadas. Jamais pensei que poderias aceitar (comparecer) a festa de uma pessoa que vira as costas aos pedintes e convida os ricos. Olha para os bocados que comes. Deixa de lado aquilo sobre o que está sem dúvida e como aquilo sobre o que há certeza de ser lícito.
Lembra-te de que todo seguidor tem um líder ao qual segue e o fulgor de cujo conhecimento deriva a luz. Conscientiza-te de que o teu imam se contenta com duas peças surradas de roupa, para o mundo, e dois pães como refeição.
Certamente tu não podes fazer isso, mas pelo menos podes apoiar-me na piedade , esforço, castidade e probidade , porque por Deus , não entesourei ouro algum deste mundo, não acumulei bastante riqueza , tampouco colecionei roupas a não ser duas peças surradas. ora, tudo que tinhamos de nosso , sob este céu, era um fadak (área agrícola), sendo que as pessoas se sentiram ávidas por ela e outras a retiraram.
Deus é, no final das contas, o melhor juiz.
Que acontecerá comigo; com fadak ou sem fadak, amanhã este corpo deverá baixar sepultura em cuja escuridão seus traços serão destruídos, e suas notícias desaparecerão. É uma pena que mesmo essa cavidade seja alargada ou as mãos do coviro a façam ancha, as pedras e os torrões a tornarão estreita e a terra jogada por cima lhe cobrirá a abertura. Estou sempre tentando conservar -me engakado na piedade para que no dia do grande temor eu permaneça em paz e firme, (mesmo) em lugares escorregadios. Se eu quisesse, teria tomado o caminho que me levaria aos (prazeres do mundo como) o mel, bons trigos e roupas de seda , mas não é possível que munha paixão me leve a essas coisas e que minha gula me leve a escolher boas comdas enquanto que em Hijaz ou em Yamama talvez haja pesoas que não têm esperanças de obter um pão, ou qu e não têm uma refeição completa. Deveria eu deitar-me saciado enquanto ao meu redor houvesse estômagos famintos e sedentos ? ou deveria ser como dizia o poeta : "Constitui também uma doença que deites com a barriga cheia enquanto que em torno de ti há pessoas que anseiam por uma tãmara , ou meia."
Deveria eu ficar contente em ser denominado Amirul muminin se não compartilhasse com o povo as dificuldades do mundo ? Ou deverei eu servir de exemlo nas agruras da vida ? Não fui criado para que me mantivesse ocupado em deglutir boas comidas como um animal amarrado cuja única preocupação é com a alimentação, ou como uma ave sota cuja única preocupação é encher o papo. Estes enchem sua barriga e seu papo com alimentos e não sabem do propósito disso.
Deveria eu deixar que a falta de controle dirigisse ou que agisse livremente ? Ou deveria eu agarrar-me à corda do extravio ou divagar a esmo pela senda da perplexidade ?
Veja que é ( como se ) alguns de vós dirieis , se é isto que Ibn Abu Talib come, então a fraqueza o torna inadequado para combater o seu inimigo e se defrontar com os bavos. Lembrai-vos de que a árvore da floresta é a melhor para a madeira enquanto que os galhos verdes têm a casca mole, e de que as touceiras selvagens são muito fortes para se queimar e demoram a se apagar. Minha relação com o Profeta é aquela do tronco em relação ao galho, ou do antebraço em relação ao pulso. Por Deus que se os árabes se juntarem a mim no combate eu não me desvencilharei deles e se tiver oportunidade, apressar-me-ei em os pegar pelos pescoços. Decerto que porfiarei no sentido de livrar a terra do homem de mentalidade recalcitrante e de corpo revolto até que as partículas de barro sejam retiradas do grão.
Afasta-te de mim, ó mundo ! Tuas rédeas estão sobre os teus próprios ombros, uma vez que me livrei dos teus fossos, deixei de lado teu quinhão e evitei andar nos teus locais escorregadios. Onde estão aqueles que tu enganaste por meio das tuas pilhérias ? onde estão aquelas comunidades que tu seduziste com teus adornos ? Estão todos
confinados nos túmulos e escondidos em locais soterrados. Por Deus que se fosses uma personalidade palpável e um corpo capaz de sentimento eu o teria dado uma penalidade fixada por Deus, por causa das pessoas que enganaste por meio dos desejos, das comunidades que lançaste na destruição e dos bons governantes aos quais causaste a ruína levando-os aos lugares de tristeza de onde não mais votarão. Como de fato, aquele que atravessou suas vagas se afogou e aquele que evitou as tuas armadilhas se apoiou. Aquele que se mantém a salvo de ti não tem preocupações, mesmo que os seus assuntos sejam endireitados, sendo que o mundo, para ele, é como um dia que está expirando.
afasta-te de mim porque, por Deus, eu não me curvo perante ti para que não me humilhes , tampouco deixarei soltas as rédeas para ti, para que não me dirijas para longe ( do que desejo).
Juro por Deus, uma jura que, espero, seja da vontade dele, que eu me sinta contente com um pão para comer e com um pouco de sal para o temperar. Deixarei que os meus olhos se esvaziem de lágrimas , como um arroio em que as águas secaram. Que Ali coma o que tenha e que durma como uma rês que encheu seu estômago na pastagem ou que regurgite como as cabras que comem as ervas verdes e entram em seus cercados. Que seus olhos morram se, depois de longos anos, seguir o gado solto e os animais de pastagem.
Abençoado seja aquele que se desincumbir das suas obrigações para com Deus, e se resignar das suas penúrias , não se der ao luxo de dormir à noite, e que, quando o sono o vence , deita-se no chão e usa sua mão como travesseiro, em companhia dos que mantêm os olhos abertos em temor ao dia do julgamento, cujos corpos estão sempre afastados das camas , cujos lábios estão sempre murmurando recordações de Deus e cujos pecados foram extintos por causa da sua prolongada procura por perdão. "ESTES FORMAM O PARTIDO DE DEUS. ACASO, NÃO É CERTO QUE OS QUE FORMAM O PARTIDO DE DEUS SERÃO OS BEM AVENTURADOS ? (58:22)
Portanto, ó Ibn Hunaif , teme a Deus e contenta-te com os teus próprios pães para que escapes do inferno."


CARTA 46
Para um dos seus oficiais

"Então, tu és um daqueles cuja ajuda para o estabelecimento da religião eu aceito, bom como o auxílio para desfazer a insolência dos pecadores e salvaguardar as fronteiras críticas.
Deves buscar a ajuda de Deus no que quer que seja que te cause ansiedade. Adiciona um pouco de dureza na mistura da indulgência e permanece indulgente , quando esse expediente for mais apropriado.
Adota a dureza quando não puderes te sair bem sem ela. Curva tuas asas (em humildade) diqnte de teus súditos. Encara-os com um sorriso largo e te mantém bondoso no tratamento com eles.
Trata-os com igualdade quando os olhares, quer sea de soslaio, quer seja de frente , quando anunciares(algo) ou cumprimentares, para que os forte não esperem transgressão da tua parte e os fracos não percam esperança na tua justiça. Wassalam."


CARTA 47
Para o Imames Hassan(as) e Hussein(as) quando Ibn Muljim assassinou o Amirul Mominin

"Aconselho-vos que temais a Deus e que não anseies pelo mundo, mesmo que ele acene para vós. Não vos lamenteis por nada do mundo que vos tenha sido negado. Falai a verdade e agi na esperança da recompensa. Sede inimigos dos opressores e auxiladores dos oprimidos.
Aconselho-vos e a todos os meus filhos e membros da família , e a todos os quais o meu escrito alcançar, que temais a Deus e conservai vossos negócios em ordem, e que mantenhais boas relações entre vós, porque eu ouvi o vosso avô (saas) dizer que " o melhoramento das diferenças mútuas é melhor do que as orações e os jejuns, em geral".
Tende Deus em vista nas questões dos orfãos. Assim, não permitais que passem fome , nem que se arruinem em vossa presença.
Tende Deus em vista nas questões de vossos vizinhos, porque estes foram objeto do conselho do Profeta. Ele continuou aconselhando a favor deles até que nós pensamos que ele lhes permitiria um quinhão da herança.
Tende Deus em vista nos assuntos de sua casa. Não a desampareis enquanto viverdes , porque se for abandonada, não sereis poupados.
Tende Deus em vista quanto ao Jihad, com a ajuda das vossas posses, da vossa vida e língua . Deveis apegar-vos à consideração ao parentesco e ao gastardes para os outros . Evitai descartar-vos uns dos outros ou tornar severas as relações . Não desistais de incitar ao bem e a proibir o mal, senão os vilões tomarão posições superiores as vossas e então, se orardes vossas preces não serão ouvidas.
Ó filhos de Abdul Mutalib , não dvereis derramar sangue dos muçulmanos gritando "Amirul Muminin foi morto! " Cuidado para não matardes por minha causa , a não ser o que me matou.
Esperai até que eu morra por causa do golpe dele. Então golpeai-o,
com um golpe, pelo seu golpe, mas não corteis os membros do homem, porque eu ouvi o Profeta de Deus (saas) dizer: "Evitai cortar membros , mesmo de um cão raivoso."


CARTA 48
Para Muawiya

"A rebeldia e a falsidade degradam um homem em suas questões religiosas , bem como mundanas e acarreta a sua penúria perante os seus momentos críticos. Tu sabes que não poderás alcançar o que está destinado a ficar longe de ti.
Muitas pessoas almejaram outra coisa que não o direito e desenvlveram interpretações sobre Deus , mas ELE fez com que se confudissem ; portanto teme o dia em que feliz será o que tornou feliz o seu final , ao passo que estará arrependido o que permitiu que Satã o dirigisse e não resisitiu a ele. Tu nos convocaste para um acerto por meio do Alcorão, embora não sejas um homem do Alcorão, e nós atendemos ao Alcorão , não a ti."


CARTA 49
Para Muawiya

"Este mundo se afasta do outro. Seus devotos nada conseguem dele a não ser que lhes aumente a cobiça e a cupidez . Sus devotos não ficam satisfeitos com o que dele conseguem, em razão do que não têm.
Eventualmente há separação do que foi acumulado e uma tortuosidade do que tenha sido endireitado. Se tirares lição do passado, poderás estar seguro no futuro." 

CARTA 50 Para os comandantes das forças

"Do servo de Deus, Ali , Amirul Muminin , para os oficiais encarregados das guarnições.
Eis que é obrigatório para um oficial que a distinção que obtenha, ou a riqueza de que seja dotado ( por seu cargo), não lhe faça mudar o comportamento para com aqueles sob seus cuidados e que a riqueza que Deus lhe outorgou aumente a disposição de se aproximar de seu povo; e de ser benevolente para com seus irmãos.
De modo que é direito vosso, que eu não guarde segredo, a não ser durante a guerra; nem deverei decidir meus assuntos sem vos consultar, a não ser nas injunções religiosas, nem deverei ignorar vossos direitos (ou omitir-me) , até que tenha me desincumbido deles e para mim, todos vós sereis iguais em direitos.
Quando eu tiver feito tudo isso, será obrigatório que agradeçais a Deus , que me obedeçais e não devereis fugir , uma vez convocados nem esquivar-vos das boas ações ; e devereis encarar as dificuldades para o bem do que é direito. Se não permanecerdes firmes nisto, ninguém será mais humilhado, ao meu ver, do que o que se desviou, sendo que lhe aumentarei a punição e não obterá qualquer concessão de minha parte. tomai (juramento) de vossos oficiais e comportai-vos
(desse modo), que Deus talvez faça melhorar os vossos assuntos."


CARTA 51
Para os cobradores de impostos
Do servo de Deus, Ali amirul Muminin, para os oficiais da renda.
Aquele que não tem medo de ir para onde está indo nada envia, a seu favor, que o protegerá. Deveis saber que as obrigações a vós impostas são pequenas , enquanto que a recompensa é grande. Mesmo que não houvesse medo do castigo, pela revolta e dosobediência , aos quais Deus proibiu, a recompensa por nos abstermos disso deveria ser suficiente em si. comportai-vos com justiça para com o povo e agi com resignação com respeito as suas necessidades , porque sois os tesouros do povo, os representantes da comunidade e embaixadores dos imames. Não descuideis de nenhuma das suas mas prementes necessidades e não impeçais a ninguém de (apresentar) seus requerimentos. Para a cobrança dos rendimentos não façais com que vendam roupas de inverno ou verão, nem o gado com os quais trabalham, tampouco os servos. Não açoiteis a ninguém por causa de dinheiro. Não toqueis na propriedade de qualquer indivíduo , seja ele muçulmano ou adepto do livro sob proteção, a menos que acheis que armas e cavalos sejam usados para ataques contra muçulmanos, porque não é de bom alvitre que se deixe tais coisas nas mãos dos inimigos do Islã para que não os habilitem a terem ascendência ( sobre os muçulmanos).Não vos negueis a ouvir bons conselhos , ater bom comportamento para com o exército, a socorrer os súditos e a manter íntegra a religião de Deus. Porfiai na senda de Deus porque (isso) vos é obrigatório e porque ELE quer que sejamos gratos, da melhor maneira que pudermos e que o ajudemos com o melhor das nossas forças . e não há poder senão em Deus.


CARTA 52
(Para os oficiais de vários lugares com respeito às orações)

"Praticai a oração Dzuhr com o povo quando a sombra de qualquer objeto for do tamanho do mesmo . Praticai a oração de Asr enquanto o sol ainda estiver brilhando , numa parte do dia que seja suficiente para se cobrir a distância de dois farsakh (cerca de cinco quilômetros e meio). Praticai a oração de Maghrib quando o jejuador teminar o jejum e o peregrino voltar de Arafat. Praticai a oração de Isha' com eles quando o crepúsculo desaparecer, e a um terço da noite. Praticai a oração da aurora quando um homem possa reconhecer o rosto de seu companheiro. Praticai as orações com as pessoas como a mais fraca delas o faria e não sejais uma fonte de problemas para elas."


CARTA 53 (Amirul Muminin a escreveu para Malik Achtar nakho quando a posição de Mohammad Ibn Abu Bakr tornou-se perturbada, nomeando Achtar governador do Egito. É uma longa missiva e contém as maiores belezas ).

"Em nome de Deus , o Clemente , o Misericordioso
Isto é o que o servo de Deus, Ali, Amirul Muminin, ordenou que Malik Ibn Haris al Achtar fizesse, nesta nomeação: que combatesse os inimigos, buscasse o bem para o povo, fazendo com que as cidades se tornassem prósperas.
Ele te ordenou a temer a Deus, a preferir a sua obediência e a seguir aquilo que ELE havia ordenado no Alcorão, com atenção nas suas ordens obrigatórias e eletivas, sem seguir os que não pussuem virtude, nem ser vicioso, a não ser no tocante a se opor a eles e a ignorá-los, e a se esforçar pela causa de Deus, o Glorificado, com seu coração , sua língua e suas mãos , porque Deus , cujo nome é sublime, se responsabiliza em ajudar aquele que o ajuda e proteger aqule que lhe dá apoio.
Ele também te ordenou a romper com as paixões e a se conter na hora do surgimento destas, porque o coração se dirige ao mal, a menos que Deus tenha misericórdia.
De modo que, fica sabendo ó Malik, que eu te enviei para uma área em que houve governantes antes de ti, tanto justos como opressores.
As pessoas agora vigiarão os teus tratos , assim como tu costumavas vigiar os tratos dos outros governantes, e elas te criticarão assim como os criticaste.
Em verdade, os virtuosos são conhecidos por sua reputação, que Deus faz circular por meio das línguas das pessoas. Portanto, o maior acúmulo que poderás conseguir é o dos bons feitos. Assim, controla as tuas paixões e perscruta o teu coração quanto a fazeres o que não te é lícito, porque perscrutar o coração significa detê-lo no meio do caminho entre o que o agrada e o que o desagrada.
Enche de misericórdia o teu coração para com os súditos , de afeição e bondade para com eles. Não caias sobre eles como os animais famintos que se sentem satisfeitos em devorar.
Eles são de duas espécies : ou são teus irmãos na fé, ou são como tu, na criação. poderão cometer deslizes e se dar ao erro. Poderão agir erroneamente, de propósito ou por negligência. Assim, estende-lhes o teu indulto e perdão, da mesma maneira que desejas que Deus faça contigo, porque tens ascendência sobre eles e o Imam tem ascendência sobre ti, enquanto que Deus tem ascendência sobre eles , sobre ti e sobre aquele que te nomeou.
ELE te escolheu pra que gerisses os assuntos deles , sendo que te pôs à prova por meio deles . Não te ponhas a combater a Deus , porque não tens força perante o seu poder e não sairás bem sem o seu perdão e a sua misericórdia. Não te arrependas ao perdoares, ao seres misericordioso e ao punires.
Não ajas impulsivamente durante a ira, se puderes escapar disso.
Não digas :" Foi me dada autoridade , portanto deverei ser obedecido quando ordenar" , porque isso causa confusão nos corações , enfraquece a religião e leva a pessoa para perto da ruína. Se a autoridade da qual foste investido produz orguho ou vaidade em ti, então olha a grandiosidade do Reino de Deus em torno de ti, e a sua superioridade , a qual não tens sequer sobre ti mesmo. Isso refreará a tua altivez, curará o teu temperamento duro e trará de volta a sabedoria que tenha te abandonado.
Cuidado para não te comparares a Deus, em sua grandeza , ou te assemelhares a ELE, em seu poder, porque Deus humilha todo aquele que reivindica poder e desgraça quem é altivo.
Faz justiça a Deus e ao povo, ainda que contra ti mesmo, aos teus aparentados e àqueles dos teus súditos com que tenhas ligações , porque se assim não fizeres, estarás oprimindo e quando uma pessoa oprime as criaturas de Deus, então ao invés delas, Deus se torna inimigo do opressor,; e quando Deus se torna inimigo de uma pessoa não a leva em consideração os rogos e ela permanecerá na posição de oponente de Deus até que desista e se arrependa. Nada está mais a feito a contenção das bençãos de Deus, ou do apressamento de seu castigo do que a continuidade da opressão, porque Deus ouve as orações dos oprimidos e vai no encalço dos opressores.
O caminho mais desejável para ti deverá ser o que for mais condizente com o direito, o mais universal em termos de justiça e o mais compreensível com respeito à concordância dos súditos, porque a discordância das pessoas comuns dissipa o argumento dos eminentes, enquanto que a discordância dos eminentes poderá ser desconsiderada, do ponto de vista da concordância do povo comum.
Ninguém entre os súditos constitui mais sobrecarga para o governante , durante a bonança, é de menos ajuda nos dissabores , mais odioso no tratamento equitativo, mais ferrenho em pedir favores, menos agradecido nas horas de concessão, menos provido de razão nas horas de recusa e mais fraco na rsignação nas horas das dificuldades da vida , do que o indivíduo eminente. são pessoas comuns do povo que constituem os pilares da religião, a força dos muçulmanos e a defesa contra os inimgos. tua propensão , pois, deverá ser á elas.
O mais afastado e ti, entre os súditos , é o pior deles, a teu ver, deverá ser aquele que é mais inquiridor quanto a falha das pessoas ,
porque estas costumam ser deficientes, sendo que o governante é a pessoa mais apropriada para cobrir suas deficiências.
Não procures descobrir o que estiver oculto a ti, porquanto tua obrigação é corrigires o que estiver manifesto; a Deus compete tratar com o que está oculto de ti. Portanto, procura corrigir a deficiência tanto quanto puderes; Deus corrigirá as deficiências que desejares que permaneçam ocultas aos teus súditos. Desata cada nó de ódio nas pessoas e afasta de ti a causa de toda inimizade. Finge ignorar aquilo que não estiver muito claro. Não sejas como o maldizente porque este é um trapaceiro, embora aparente ser um benquerente.
Não incluas entre os teus consultores um avarento que te coíba de seres generoso e que te acautele quanto a ficares pobre, nem um covarde que te faça sentir-te fraco para os teus assuntos, tampouco uma pessoa gananciosa que embelezaria para ti o acúmulo de riqueza por meios malignos. Em virtude de que, a avareza , a covardia e a ganância constituem defeitos diferentes , mas comuns em terem idéias incorretas sobre Deus.
O pior ministro para ti é aquele que já foi ministro de pessoas nocivas antes de ti e que se juntou a elas em pecados. Portanto esse não pode ser o teu homem de confiança, porque é cúmplice dos pecadores e irmão dos opressores. poderás encontrar substitutos que poderão ser iguais a ele, em seu ponto de vista e influência , mas que não serão iguais nos pecados e vícios. Estes jamais apoiaram um opressor ou um pecador em suas ações.
Estes terão maior consideração a ti e serão menos inclinados a outros. Portanto, torna-os teus principais companheiros , tanto em privacidade como em público. Os mais adequados dentre eles para ti, serão os que mais abertamente falam a verdade e que menos te apoiam nas ações que Deus não aprova nos seus amigos, muito embora estejam de acordo com os teus desejos.
Associa-te com os tementes a Deus e com os verazes; então, faz com que se habituem a não louvá-lo ou elogiá-lo oor alguma ação que tenhas praticado, porque o excesso de louvor produz o orgulho e te leva à altivez.
O virtuoso e o corrupto não deverão estar numa posição semelhante para ti, porque isto significaria a dissuasão da virtude para o virtuoso e a persuasão à corrupção por parte do corrupto. Conserva cada um na posição que lhe seja devida. Sabei que os (atos) mais úteis para o bom ideal do governante em relação a seus súditos é o dispensar bom tratamento, aliviar as vicissitudes e evitar que sejam submetidos a problemas insuportáveis. Deverás, portanto, seguir um curso no qual terás boas idéias em favor de seus súditos, tais idéias te aliviarão de grandes preocupações . Decerto que a mais apropriada das boas impressões que possas causar será para aquele para o qual o teu comportamento não tenha sido bom.
Não interrompas a boa vida que os primeiros povos desta comunidade tinham vivido, em virtude do qual havia união e prosperidade.
Não faças inovações em nenhuma linha de ação que cause danos a esses primeiros costumes, porque a recompensa dos que as estabeleceram continuará , mas o encargo de as interromper recairá sobre ti.
Mantém a argumentação com os eruditos e as discussões com os sábios para que se estabilize a prosperidade na tua jurisdição e dá continuidade no que os primeiros povos permaneceram firmes.
Fica sabendo que as pessoas consistem de classes distintas que prosperam apenas com a ajuda mútua e que não são independentes umas das outras. Entre elas encontra-se o exército de Deus , o secretariado operante das pessoas do povo e dos chefes, os juízes, os engajados na lei e na ordem, os cobradores de impostos e das taxas dos ahlul Kitab sob proteção e dos muçulmanos em geral; os comerciantes e os industriais, a baixa classe dos necessitados e pobres. Deus fixou o quinhão de cada um deles e estabeleceu os seus preceitos acerca dos limites no seu Livro e na Sunna de seu Profeta (saas) por meio de arranjos que estão preservados conosco.
O exército é, pela vontade de Deus, a fortaleza do povo, o ornamento dos governantes, o vigor da religião e os meios para a paz. Os povos nãopodem existir sem ele, e o exército apenas pode ser mantido com os fundos fixados por Deus, nos rendimentos, com os quais adquirem força para combater os inimigos, e de que depende a prosperidade e a satisfação das necessidades.Essas duas classes não poderão existir sem uma terceira , ou seja, a dos juízes, os executivos e os secretários que executam julgamentos sobre os contratos , cobram do rendimento dos quais se espera muito sobre os assuntos especiais e gerais.
E essas classes não podeiam existir sem os comerciantes e os industriais que fornecem as coisas necessárias, estabelecem o mercado e tornam possível que outros não se ocupem de tudo isso.
Depois há a baixa classe dos necessitados e dos pobres , cujo sustento e auxílio fica pendente, sendo que cada um deles tem(um quinhão de) subsistência em nome de Deus. Cada um deles tem seu direito sobre o governante, de acordo com o que é requerido para a sua prosperidade. O governante não poderá desincumbir-se das obrigações que lhe foram estabelecidas por Deus com respeito a esse assunto, a não ser se empenhando e buscando a ajuda dele, e acostumando-se a aderir ao que é direito; suportando nesse particular tudo o que for suave ou duro. Põe, no comando das tuas forças, o homem que ao teu ver seja o mais reverente quanto a Deus, a seu Profeta e a teu Imam, o mais casto de coração e o mais elevado em tolerância , que não fique zangado à toa, aceite desculpas, seja benévolo com os fracos e rígido com os fortes ; que a violência não inflame o seu humor e a fraqueza não o torne sedentário.
Que também esteja associado a pessoas de boa família , de casas virtuosas e de decentes costumes, ( que descenda) de pessoas de coragem, valor, generosidade e bondade porque constituem os repositórios da honra e fonte das virtudes. Porfia por seus assuntos, assim como os pais fazem por seus filhos. Não consideres como grande coisa algua que faças para os acomodar, tampouco como pequena coisa alguma que concordaste em fazer por eles, porque isso os tornará respeitosos a ti e criará uma boa impressão sobre a tua pessoa. Não descuides em atender os seus pequenos assuntos , te restringindo aos grandes , porque os teus pequenos favores também lhes serão benéficos ao passo que os grandes o são, de tal maneira, que não poderão ignorá-los.
Os comandantes do exército deverão ter posições ( de destaque) perante ti, que lhes darás ajuda equitativa e despenderás dinheiro com eles e seus familiares que ficaram para trás, de modo que suas preocupações convergirão para um único sentido: combater o inimigo.
Tua benevolência fará com que seus corações se volvam para ti.
A coisa mais prazeirosa para os governantes é o estabelecimento da justiça em suas jurisdições e a manifestaõ de amor por parte do povo; mas este amor só se manifesta quando os seus corações estão em festa. Sua benquerência prova ser correta somente quando rodeiam seus comandantes . Não consideres as posições deles como sendo uma carga sobre teus ombros e não fiques a desejar pelo fim de suas gestões. Portanto, procura ter a ente aberta em relação a seus desejos , continua elogiando-os e relembrando seus bons feitos, porque a menção das boas ações incentiva os bravos e os fracos , se Deus quiser.
Busca apreciar a realização de cada um deles , por não atribuir a ação de um ao outro e por não minimizar a recompensa a um nível mais baixo que o da realização. a elevada posição de um homem não deve levar-te a considerar seus pequenos feitos como grandes , tampouco a baixa posição de um homem deverá levar-te a considerar como pequenos os seus grandes feitos.
Recorre a Deus e a seu profeta quanto aos assuntos que te preocupam e as questões que te pareçam confusas, porque referindo-se às pessoas que Deus desejava guiar ( por assim merecerem), ELE disse : "Ó CRENTES , OBEDECEI A DEUS, AO MENSAGEIRO E ÀS AUTORIDADES DENTRE VÓS. SE DISPUTARDES SOBRE QUALQUER QUESTÃO RECORREI A DEUS E AO MENSAGEIRO (4:59)
Recorrermos a Deus significa agirmos de acordo com o que está claro no seu Livro e recorrermos ao Profeta signifia seguirmos a sua unanimemente acatada sunna em consideração à qual não há divergências.
Para o assentamento das disputas , seleciona aquele que é mais distinto dentre o teu pessoal, ao teu ver.
Os casos( apresentados ) não deverão vexá-lo , as disputar não deverão irritá-lo,não deverà insistir em nenhum ponto errôneo, não há que relutar a aceitar a verdade quando a perceber , não deverá inclinar-se à cobiça e não se contentar com uma apreciação superficial, mas se aprofundar (no assunto).Deverá estar pronto a ponderar , sobre os pontos duvidosos, levar em consideração os argumentos , ser o menos desgostoso quanto as uerelas dos litigantes, o mais paciente quanto a ingerência nos assuntos e o meos timorato na hora de expedir o julgamento. O louvor não deverá o envaidecer e a exaltação não deverá fazer com que se incline( para alguma das partes). Tais indivíduos são poucos; por isso , mui frequentemente procura checar as decisões e eprmita que receba bastante dinheiro, para que não tenha desculpas ( para ser desonesto) e para que não haja necessidade de que recorra a terceiros para ( saisfazer) suas necessidades.
dá-lhe o posto , na tua assembléias, ao qual ninguém mais , dentre os teus chefes, possa aspirar , para que fique a salvo de danos causados por aqueles ao teu redor.
Deverás ter olhos bem abertos nessa questões, porque esta religião esteve, anteriormente,prisioneira, nas mãos de gente corrupta, quando a ação era empreendida de acordo com as paixões , já que buscavam as riquezas terrenas.
Depois disso, perscruta os negócios dos teus executivos. concede-lhes a designação após os testes e não o faça por parcialidad ou favoritismo, porque estes dois critérios constituem fontes de injustiça e incoveniência. Seleciona, entre eles, os que sejam pessoas de experiência e de modéstia , oriundas de casas virtuosas, que tenham aceitado primeiramente o Islã , porque tais indivíduos possuem maneiras refinadas e honra imaculada. São menos inclinados à cobiça e sempre têm os olhos voltados para a finalidade das questões. Proporciona-lhes abundante subsistência porque isso lhes dará vigor para que se mantenham em ordem e não passem a cobiçar os recursos dos seus custódios, o que será,um argumento contra eles, caso desobedeçam tuas ordens e se apropriem indevidamente do que te é confiado.
Deverás ainda checar suas atividades e pôr espias sobre eles , os quais deverão ser de confiança e crentes, porque a tua vigilância fará com que preservem o que te foi confiado e com que sejam bondosos para com as pessoas.
Sê cuidadoso quanto aos assistentes. Se qualquer um deles estender a mão para a apropriação indébita e os relatos dos teus espias confirmarem,deverá isso ser considerado suficiente prova.
Deverás infligir-lhes o castigo corporal e reaver o que tenha sido usurpado. Deverás pô-lo numa posição de desgraça, colocá-lo na lista negra com ( a acusação) da apropriação indébita e faze-lo usar a tarja da vergonha, por sua ofensa.
Procura (concluir) os negócios da renda de tal maneira que aqueles engajados neles permaneçam prósperos, porque na prosperidade deles repousa a prosperidade de todos. Os demais não podem prosperar sem eles, porque todas as pessoas dependem dos rendimentos e dos seus oficiais. Deverás também atentar no cultivo da terra, mais do que na cobrança das rendas , porque estas não podem existir sem o cultivo; e aquele que advoga pelo rendimento sem o cultivo da terra, arruina o território e traz morte ao povo.
Seu domínio não duraria a não ser por pouco tempo. Caso se queixem de excessivo(imposto) ou de doenças, ou escassez de água, ou excesso dela, ou da mdança das condições da terra, devido a enchente ou seca, deverás remeter a renda na medida em que esperares que isso lhes melhore as condições. A remessa por ti concedida , para tirá-los do sofrimento, não deverá ser feita de má vontade , porque trata-se de um investimento que retornarão na forma de prosperidade do teu país e de progresso do teu domínio, além de obteres o louvor deles e a felicidade vinda da justiça para com o povo. Poderás vir a depender do seu vigor , causado pelo investimento que fizeste, atendendo sua conveniência ; e poderá ter confiança neles em razão da justiça que estendeste , por teres sido bom. Depois disso , as circunstâncias poderão tornar-se (auspiciosas) que terás de pedir a ajuda deles , e a darão alegremente, pois que a prosperidade é capaz de suportar a carga que lhes impuseres. A ruína da terra é causada pela pobreza dos cultivadores , sendo que se tornam pobres quando os oficiais se concentram na cobrança (dos impostos) , os quais têm pouca esperança de se manter ( em seus postos) e não tiram benefícios dos pontos de admoestação.
Então tens que tomar cuidado com os teus secretários. Põe os melhores deles encarregados dos teus negócios. confia teus documentos que contenham as tuas estratégias e segredos àquele que possua o melhor caráter, que não fique exaltado pelas honrarias, a não ser que se atreva a falar contra ti nas audiências comuns. Este não deverá, ainda, ser negligente no tocante a pôr perante ti as comunicações dos teus oficiais e a emitir as respostas corretas , a teu favor e a favor dos assuntos da receita e da despesa. Não deverá fazer qualquer acordo prejudicial a teu favor nem deixar de repudiar um acordo contra ti. Não deverá ser ignorante no tocante a sua própria posição quanto as questões, porque o ignorante na sua própria posição ( fatalmente) será mais ignorante na posição dos outros. Tua seleção de tais pessoas não deverá ser feita com base na tua compreensão ou em confiança na tua boa impressão , porque as pessoas apreendem as idéias dos oficiais através da afeição e do serviço pessoal, porquanto não há benquerença ou confiança nisso.
Poderás, entretanto, aquilatá-las por aquilo que fizerem sob ( o comando de) virtuosos antes de ti. Decide-te em favor daquele que leva bom nome dentre as pessoas comuns e que seja o mais destacado na confiança porque isso será uma prova da tua consideração para com Deus e com aquele para cujo bem foste apontado para essa posição.
Põe um chefe para cada departamento de trabalho. Este não deverá ser incapaz de ( desincumbir-se) dos grandes assuntos e a rapidez do serviço não o deverá confundi-lo. Sempre que houver um defeito nos teus secretários, os quais supervisionas, serás tido como responsável por ele.
Agora, eis aqui alguns conselhos sobre os comerciantes e os industriais. dá-lhes bons conselhos sempre que se estabelecerem como lojistas ou mascates, ou trabalhadores braçais, porque são fontes de recolhimento e meios para a provisão de artigos de utilidade. Trazem tais artigos de regiões longínquas , através de terras, mares, planícies ou montanhas , de locais onde as pessoas não poderiam atingir e não se atreveriam a ir, uma vez que são pacíficos e não há medo de revolta com elas, são caladas e destituídas do medo da traição.
Zela pelos seus negócios antes mesmo dos teus, sempre que estiverem em teu território. Fica sabendo além disso que a maioria deles é de mentalidade estreita e extremamente avarenta. Juntam mercadorias para obterem lucro fixam altos preços as mesmas.
Isto é fonte de dano para as pessoas e um desafio para os oficiais encarregados. coíbe as pessoas de acumularem, porque o Profeta de Deus (saas) o proibiu. A transação deve ser suave, com os pesos e os preços corretos, não prejudicial para ambas as partes, vendedor e comprador; a quem cometer entesouramento, após haver sido proibido, proporciona punição severa, mas não excessiva. Tem Deus em mente com respeito ao trato com as classes baixas que consistem dos que têm poucos meios, os pobres e destituídos, os necessitados e os inábeis, porque nessas classes estão os descontentes , bem como os pedintes. Cuida, para o bem da causa de Deus, das tuas obrigações para com eles, para o que ELE o fez responsável. fixa para eles um quinhão dos fundos públicos e um quinhão dos frutos da terra, tomados como espólios para o Islã em todas as áreas, porque nelas os mais afastados têm o mesmo direito que os próximos. Todos são aqueles cujos direitos foram colocados a teu encargo. Portanto, que a vida luxuriante não te mantenha afastado deles. Não poderás ser desculpado por ignorares os assuntos pequenos por estares a decidir os grandes problemas. Consequentemente, não sejas desatencioso com eles, tampouco vires o rosto a eles, levado pela vaidade.
Cuida dos negócios daqueles que de ti não se aproximam por serem de aparência repugnante ou daqueles que as pessoas julgam como inferiores. Designa para eles alguém de confiança, que seja tmente a Deus e humilde. Ele te informará acerca das condiçõe dessas pessoas.
Então trate com elas com senso de responsabilidade para com Deus, ( pensando) no dia em que o encontrarás, porque, de todos o súditos , essas pessoas são as mais merecedoras de tratamento equitativo; as, quanto as demais, deverás também satisfazer os seus direitos, para que prestes conta a Deus. Cuida também dos orfãos e dos idosos, os quais não possuem meios, nem podem sair para pedir. Isto constitui um peso para os oficiais; aliás, todo direito constitui um peso. Mas Deus alivia esse peso para aqueles que buscam o outro mundo e suportam o rigor que se apresenta e confiam na firmeza da promessa de Deus a eles.
Estabelece uma hora para os queixosos e dispensa um pouco do teu tempo a eles, e senta-te com eles em audiência comum e sê humilde , para o bem da causa de Deus que te criou. (Nessa ocasião) deverás manter afastado teu exército, assistentes e guardas, para que qualquer um que te queira falar , fale sem medo, porqu eu ouvi o Profeta de Deus (saas) dizer, em mais de um lugar : " As pessoas pelas quais os direitos dos fracos não forem assegurados pelos fortes, sem medo, jamais chegarão a pureza." Tolera-lhes o acanhamento e a inaptidão no falar. Afasta de ti a mesquinhez e o orgulho. Deus abrirá, por causa disso, sobre o ti o manto da sua misericórdia e designará para ti a recompensa pela obediência a ELE. O que quer que dês , dá com alegria; mas quando recusares , aze-o com cavalheirismo e com desculpas. Então, há certas questões que não poderás deixar de fazer por ti mesmo.
Por exemplo, responderes a teus oficiais quando teus secretários forem incapazes de o fazer, ou atenderes as queixas das pessoas quando os teus assistentes se esquivarem disso.
Termina, a cada dia, o trabalho que lhe corresponder, porque cada dia tem o seu próprio trabalho. Guarda para ti uma melhor e maior parte desses períodos para a adoração a Deus, embora todos esses ítens sejam para Deus, uma vez que a intenção seja pura e o povo prospere com isso.
O expediente especial, pelo qual purificarás a religião para Deus, será o cmprimento das obrigações que lhe são peculiares. Portanto, devota a Deus algumas das tuas atividades físicas durante a noite e o dia e, seja qual for o culto que realizares , buscando a proximidade com Deus, realiza-a de modo completo, sem falhas ou deficiências, seja qual for o esforço que isso envolva.
Quando dirigires as preces , esse ato não deverá ser nem (muito longo a ponto de ser maçante , nem (muito curto a ponto de ser) dispersivo, porque entre as pessos encontram-se as que são doentes , bem como as que têm seus próprios afazeres . Quando o Profeta de Deus (saas) me enviou ao Yêmen e eu perguntei como deveria conduzir as preces para o povo de lá, ele respondeu : " Recita as preces como o mais fraco deles faria e tem consideração com os crentes ."
De modo que não te mantenhas recluso das pessoas por um longo tempo porque a reclusão, por parte do que tem autoridade é uma espécie de mentalidade tacanha e causa a ignorância sobre os seus assuntos. A reclusão das pessoas ainda as impede de conhecer as coisas que não sabem, com isso começam a considerar grandes as coisas pequenas , e pequenas , as grandes , as coisas boas como ruins e como ruins as boas, enquanto que a verdade fica confundida com a falsidade. Afinal de contas, um governador é um ser humano e não pode ter conhecimento das coisas que as pessoas escondam dele. Nada está marcado na face da verdade que a diferencie da falsidade e as suas várias faces. Então poderás ser uma das duas espécies de homem: ou a dos generosos , considerando os direitos , a despeito das obrigações e das boas ações que praticam, ou então a dos que são vítimas da mesquinhez, nesse caso, logo as pessoas desistirão de te pedir , uma vez que perderão a esperança de um tratamento generoso de tua parte. Apesar de tudo isso, há muitas necessidades das pessoas em relação a ti que não envolvem qualquer (possível) severidade de ti, tais como as queixas contra a opressão ou o requerimento de justiça numa questão.
Ademais, o governador tem os seus favoritos e indivíduos que lhe têm fácil acesso. (Caso) cometam apropriação indébita , tenham "mão comprida" e não observem a justiça nas questões, deverás destruir as raízes do mal nessas pessoas e erradicar as causas de tais defeitos.
Não faças nenhuma concessão de terras às cidades circunvizinhas a tua ou aos teus apoiadores. Não esperarim de ti uma posse de terra que causasse danos as pessoas adjacentes, quer seja em matéria de irrigação ou serviços públicos, cujo encargo os donatários destinariam a outros. De modo que, os benefícios seriam deles, mas a culpa recairia sobre ti, neste mundo e no outro.
Permite que o direito (seja destinado) a quem seja devido, esteja este perto ou longe de ti. Neste particular , deverás estar resignado e vigilante , muito embora isso envolva os teus parentes e favoritos; e tem em vista a recompensa do que aparenta ser um encargo para ti, porque tal recompensa é promissora.
Se os súditos suspeitarem que tu sejas injusto, explica-lhes a tua posição e desfaz a suspeita com isso, porque tal coisa significará exercício para tua alma e consideração com os súditos, enquanto que essa explicação assegurará teu objetivo de mantê-los firmes na verdade.
Não rejeites a paz para a qual teu inimigo venha a te convidar e na qual haja o aprazimento de Deus, porque a paz traz descanso para o teu exército, alívio a tuas preocupações e segurança para o país.
Porém, após a paz há uma grande apreensão causada pelo inimigo, poruanto este, não raro , sugere a paz com o intuito de se beneficiar com a tua negligência. Por conseguinte, sê cauteloso e não ajas intempestivamente sobre esse assunto. Se concluíres um acordo entre ti e teu inimigo, ou firmares com ele um pacto, então cumpre fielmente o mesmo ou te desincumbe cordialmente o pacto firmado.
Coloca-te como um escudo para o que se oponha ao que tenhas jurado, porque entre as obrigações devidas a Deus, não há nada sobre o que as pessoas estejam mais fortemente unidas , apesar de suas diferentes idéias e pontos de vista, do que o cumprimento dos pactos. Ademais, os muçulmanos , mesmo os descrentes, conduziram-se pelos acordos, porque se conscientizaram dos perigos provenientes da violação destes. Portanto, não tentes ludibriar teu inimigo, porque ninguém poderá ofenderá a Deus, senão os ignorantes e os corruptos.
Como sinal e segurança, Deus fez acordos e pactos, os quais disseminou entre as suas criaturas através de sua misericórdia e (forneceu) um asilo em que elas estarão sob a sua proteção , procurando os benefícios de sua proximidade. De modo que não deve haver nisso nenhum engano, nenhuma velhacaria ou dubiedade.
Não concretizes um acordo que admita diferentes interpretações e não mudes a interpretação de palavras vagas após a conclusão e a confirmação do que tenha sido acordado. Se um acordo de Deus te envolver em dificuldades, não o repudies sem justificativa, porquanto a tolerância das dificuldades através das quais esperas alívio e bom resultado é preferível à violação cujas consequências temes, sendo que te conscientizarás de que serás chamado por Deus para a prestação de contas e não serás capaz de obter perdão para esse ato, neste mundo ou no outro.
Deverás evitar derramamento de sangue sem justificativa, porque nada atrai mais a punição divina e é maior em (más ) consequências e mais efetivo no declínio da prosperidade , fazendo truncar a vida, do que o derramamento de sangue injustificado.
No dia do julgamento, Deus começará procedendo sua apreciação nos casos de derramamento de sangue cometido pelas pessoas.
Não tentes intensificar tua autoridade por meio de derramamento de sangue proibido, porque isso enfraquecerá e reduzirá a tua autoridade, e mesmo a destruirá e a substituirá ( por outra).
Tu não poderás apresentar qualquer desculpa perante Deus ou perante mim por matares deliberadamente , pois haverá a questão da vingança sobre isso. Se ficares envolvido nisso por erro e por te excederes no uso do açoite e da espada , ou se fores áspero no castigo, porque às vezes mesmo um soco ou um pequeno golpe pode causar a morte, então a arrogância da tua autoridade não deverá impedir que pagues " o preço de sangue" aos descendentes da pessoa morta.
Deverás evitar a auto-admiração, imprimindo destaque do que aparenta ser bom em ti mesmo e nem (deverás) amar o louvor exagerado, porque essa é uma das melhores oportunidades para que Satã apague os bons feitos dos virtuosos.
Procura evitar impor obrigações aos teus súditos por lhes ter feito o bem, ou (querer) exaltação pelas tuas ações, ou ainda, fazer promessas e depois as quebrar , porque a imposição da obrigação destrói o bem, a exaltação retira da verdade a luz, e a quebra das promessas angaria o ódio de Deus e das pessoas.
Deus, o Glorificado diz : " É ENORMEMENTE ODIOSO, PERANTE DEUS, DIZERDES O QUE NÃO FAZEIS" ( 61:3).
Evita o aviamento dos assuntos antes do seu tempo ou a lentidão , a insistência quando a propriedade da ação não for conhecida ou a fraqueza quando (a propriedade) for patente. Designa cada questão ao seu próprio lugar e faze cada serviço no seu tempo devido.
Não te apropries daquilo sobre o que as pessoas possuam um quinhão igual, nem deixes de ter considerção aos assuntos que venham à baila, porque és responsável pelos outros. Logo as cortinas de todos os assuntos serão erguidas diante da tua visão e será exigido que proporciones alívio aos oprimidos. Procura ter controle sobre a auto-admiração, o acesso de ira, a força do teu braço e a agudez de tua língua. guarda-te de tudo isso por meio de evitar a pressa , adiando a severidade até que tua zanga tenha passado e tenhas reavido controle sobre ti. Não poderás livrar-se disso a menos que tenha em mente que terás que retornar a Deus.
É necessário que te lembrs de como os assuntos eram contornados por aqueles que te precederam, governadores ou os de alta tradição, ou predecessor do nosso Profeta (saas) , ou dos mandamentos contidos no Livro de Deu. De modo que tu deverás segui-los tal como tens nos visto fazer e te esforçar em seguir o que tenho prescrito neste documento, sendo que exauri os meus rogos a ti para que se o teu coração avançar rumo às paixões , não tenhas justificativa em seu apoio.
Peço a Deus, por meio da extensão da sua misericórdia e da grandeza do seu poder de propriciar boa inclinação, que ELE dê a mim e a ti ondições de apresentarmos claros rogos perante ELE e suas criaturas, de maneira que isso atraia o seu aprazimento, juntamente com atraentes louvores entre o povo, bom efeito no país, aumento da prosperidade e alto exercício da honra; e que ELE permita a mim e a ti uma morte de virtudes e martírio.
Em verdade, teremos que reornar a ELE , que a paz esteja com o Profeta de Deus ( que ELE dispensa bençãos e copiosas saudações ao seus puros e castos descendentes), Wassalam."


CARTA 54
(Enviada a Tal'a e Zubair através de Imran Ibn Hassin Khuza'i. O escritor Abu Jafar Isqafi mencionou -a em seu livro Al Muqamat, tratando das aquisições de Amirul Muminin(as) )

"Então, como sabeis, embora o escondeis , eu não me cheguei às pessoas, até que elas se chegassem a mim e não lhes pedi que me jurassem fidelidade. Por certo que as pessoas comuns não me juraram fidelidade sob qualquer força imposta ou por qualquer dinheiro dado a elas. Se vós dois me jurastes fidelidade com obediência, vinde e oferecei arrependimento a Deus, o mais breve possível, mas se o fizstes com relutância , certamente me destes a oportunidade para a ação , mostrando obediência e escondendo vossa desobediência.
Por minha vida, que não tínheis mais direito do que os Muhajirin de esconder o assunto. Vossa recusa `a fidelidade, antes de entrardes nela foi mais fácil do que sairdes dela, após a haverdes aceito.
Afirmastes que matei Othman; pois deixemos que algumas, dentre as pessoas de Madin, que não apoiaram a mim nem a vós, decidam a questão. Então, qulquer um de nós há de encarar ( a lei) de acordo com o envolvimento . Deveresi desisitir do vosso propósito, no presente,quando a questão diante de vós é somente a da vergonha, antes que encareis a questão da vergonha,no fogo do inferno.
Wassalam."


CARTA 55 Para Muawiya

"Eis que Deus fez este mundo para o que há de vir, e pôs habitantes à prova para ver quem é bom na ação e não fomos criados para este mundo nem nos foi ordenado que lutássemos por ele, mas fomos feitos para nele permanecer para sermos provados aqui. Assim que, Deu me pôs à prova contigo e te pôs á prova comigo. ELE não fez , pois, de nenhum de nós uma justificativa para o outro. Então, tu pulaste para o mundo por uma interpretação errônea do Alcorão e quiseste me responsabilizar pelo que nem minha mão ou minha língua foi responsável; mas tu e os sírios pusestes a culpa em mim, e os vossos eruditos incitaram contra mim os ignorantes e os que estavam observando ávidamente o desenrolar dos fatos.
Deves temer a Deus sobre ti mesmo e não permitir que Satã te lidere.
volta o teu rosto para o outro mundo porque esse é o nosso e o teu caminho , e pede a Deus para que não te enrede numa repentina imposição que destruiria a raiz , bem como cortaria os troncos ( da árvore da vida). Juro-te por Deus uma jura que não será quebrada: se o destino nos juntar, eu me porei contra ti firmemente, "ATÉ QUE DEUS JULGUE ENTRE NÓS, PORQUE ELE É O MAIS EQUÂNIME DOS JUÍZES " ( 7:87)."


CARTA 56
(Quando Amirul Muminin colocou Churaih Ibn Hani como comandante de uma guarnição enviada a Síria, ele lhe emitiu este documento de instrução)

"Teme a Deus todas as manhãs e todas as tardes e permanece apreensivo quanto a este mundo enganoso e não o consideres de maneira alguma seguro. Fica sabendo que se por medo de alguma coisa de mal não te refreares do que amas, então as paixões te lançarão numa porção de danos. Por conseguinte, sê para ti mesmo um freio e um protetor, e para a tua ira, um supressor e matador."


CARTA 57
Para o povo de Kufa , na hora da marcha de Madina para Basra

"Eis que saí de minha cidade tanto como um opressor como um oprimido, tanto como um rebelde como alguém a quem a rebeldia tenha sido cometida. De qualquer mod, a quem esta minha carta alcançar, peço-lhe, em nome de Deus, que venha ter comigo e se eu estiver no caminho certo, que me ajude; porém se eu estiver no caminho errado, tente me levar ao caminho certo, de acordo com o seu ponto de vista."


CARTA 58
(Escrtita aos povos de várias regiões , descrevendo o que aconteceu entre ele e a outra facção em Siffin)

"Tudo começou com o fato de nós e os sírios nos defrontarmos, embora acreditemos no único e mesmo Deus, e no mesmo Profeta, e a nossa mensagem islâmica seja a mesma.
Não queríamos que acrescentassem nada a crença em Deus ou à consciência sobre seu Profeta (saas) , tampouco eles queriam que adicionássemos tais coisas ( a religião). Deveras, havia uma completa unidade, exceto no fao de que diferíamos quanto à questão do sangue de Othman, enquanto estivemos nela envolvidos.
Nós sugerimos a eles que acalmassem a situação, apagando o temporário acesso de ira das pessoas , até que os assuntos se aquietassem e se estabilizassem, quando então ganharíamos força para colocá-los nos eixos. Entretanto, disseram que ajustariam as questões pela guerra. Recusaram a nossa oferta e assim, a guerra abriu suas asas, e veio para ficar. Suas chamas se elevaram e tornaram-se vigorosas. Quando a guerra nos bateu e nos mostrou suas garras , bem como a eles, aceitaram o que havíamos proposto.
Então concordamos com o que sugeriram e nos apressamos a satisfazer suas demandas. Agora, quem dentre eles aderir a isto será salvo da ruína por Deus e aquele que mostrar obstinação e insistência no erro terá o contrário, são aqueles cujo coração foi cego por Deus, sendo que os males lhes rodearão as cabeças."


CARTA 59
Para Asuad Ibn Katiba, governador de Huluan

"Se as ações de um governador seguirem as paixões , ficará grandemente embaraçado quanto à justiça. Todas as pessoas deverão ser iguais perante ti, porque a injustiça não poderá ser substituta da justiça. Procura evitar aquilo cujo similar não gostarias para ti mesmo. Exercita-te naquilo que Deus te fez obrigatório, esperando pela recompensa e temendo castigo.
Fica sabendo que este mundo é um lugar de provação; qualquer um aqui, que desperdiçar uma hora de seu tempo arrepender-se-á no dia do julgamento e nada poderá tornar-te tão satisfeito como te desincumbires das obrigações. Uma dessas obrigações é te protegeres (dos pecados) e tomares conta dos teus súditos o melhor que puderes. Os benefícios que te adivirão dito serão maiores dos que aqueles que ocorrerão (as pessoas) por teu intermédio. Wassalam." 

CARTA 60
Para os oficiais por cujas jurisdições o exército passou - ou passava.

"Do servo de Deus, Ali, o Amirul Muminin , para todos os cobradores de impostos e oficiais do califado, por cujas áreas o exército passar.
Eis que enviei um exército que passará por vós, se Deus assim o quiser. Instruí os seus componentes acerca daquilo que Deus lhes tornou obrigatório, ou seja, que deverão evitar as molestações e impedir os danos. Mantenho-me às claras perante vós e os descrentes que estejam sob a vossa proteção quanto a qualquer desatino cometido pelo exército, a não ser quando um (soldado) for impelido pela fome e não houver outro meio de a satisfazer. Se algum deles tomar algo pela força, devereis puni-lo. Nenhum de vós deverá ser tolo o bastante para põr obstáculo ou intervir nas questões que tornamos permissíveis a eles , como prerrogativa.
Eu próprio estou em meio ao exército. Assim, dirigi-vos a mim com relação à licenciosidade ou atrocidades que (eventualmente) venham a cometer, as quais não podereis evitar a não ser por intermédio de Deus ou de mim. Eu as evitarei com a ajuda de Deus , se ELE quiser."


CARTA 61
(Para Kumail Ibn Ziad Nakha'i , governador de Hait, expressando seu descontentamento por sua inabilidade em impedir que as forças inimigas cometessem saques e pilhagens ao passarem por seu território)

"Eis que a negligência de um homem quanto a algo que tenha sido feito responsável, fazendo o que deveria ser feito por outros, é sinal de clara fraqueza e de um ponto de vista destrutivo.
Certamente que o avançares sobre o povo de Carquesia eo deixares os arsenais que havíamos confiado a ti, sem ninguém para os proteger ou repelir as forças inimigas , demonstraram uma mente irresoluta.
Dessa maneira, tu serviste como ponte através da qual o inimigo veio a pilhar e saquear os teus aliados , demonstrando que teus braços eram fracos e que não desfrutavas de respeito em torno de ti; não foste capaz de evitar o avanço do inimigo, de lhe quebrar a força; não foste capaz de defender o povo da tua região e nem de cumprir as funções , em prol do teu Imam."


CARTA 62
(Para o povo do Egito, enviada por meio de malik Achtar, quando este foi nomeado governador do lugar)

"Eis que Deus, o Glorificado, instituiu Mohammad (saas) como admoestador para todos os mundos e como testemunha de todos os profetas. Quando ele expirou, os muçulmanos discutiram sobre o poder após ele. Por Deus, que nunca me ocorreu e eu jamais imaginei que após o Profeta (saas) , os árabes iriam arrebatar o califado dos seus Ahlil Bait (os membros de sua casa) , nem que iriam tirá-lo de mim, mas logo notei que as pessoas rodeavam o homem para lhe jurar fidelidade. Portanto, eu retive minha mão, até que vi que muitos estavam a se retirar do Islã e tentanto destruir a religião de Mohammad (saas) . Então eu temi que se não protegesse o Islã e os seus adeptos e que se nele ocorresse uma brecha ou uma demolição, aquilo significaria para mim um grande golpe, maior do que a perda do poder , que, de qualquer modo, iria durar uns poucos dias, assim como todas as coisas, passaria, como a miragem passa, como as nuvens esvoaçam. Portanto, com esses acontecimentos eu me levantei
( e fiz pé firme) até que o erro foi destruído e desapareceu e a religião obteve a paz e a segurança.
(outra parte da mesma carta):
Por Deus, que se eu os tivesse encontrado (a sós) e fossem de tal maneira numerosos, aponto de encherem a tera até as bordas, não me teria preocupado nem me assustado. Estou certo de mim mesmo e possuo convicção em Deus sobre o extravio deles e a minha orientação correta. Estou esperançosoe espero ir ter com Deus e de obter dele uma boa recompensa. No entanto, estou preocupado com que pessoas tolas e corruptas venham a controlar os negócios de toda comunidade, tendo como resultado que apoderar-se-ão dos fundos pertencentes a Deus, tornando-os sua propriedade, escravizando pessoas,combatendo os virtuosose aliando-se aos viciosos.
Consequentemente, entre os indivíduos , houve quem bebeu o que é ilícito (Walid Ibn Uqba) e foi açoitado, como castigo fixado pelo Islã e houve quem não aceitou o Islã, até que lhe fosse assegurado ganho financeiro através disso. Se tal coisa não tivesse acontecido eu não teria insistido em vos arrebanhar , em vos repreender e vos mobilizar e incitar (para o Jihad) , mas se recusardes por fraqueza, eu vos abandonarei.
Acaso não vedes que as fronteiras das vossas cidades se diminuiram , vossas áreas populosas foram conquistadas , vossas posses foram arrebatadas, cidades e terras foram atacadas ?
Que Deus tenha misericórdia de vós; erguei-vos para combater o inimigo e não fiqueis confinados à terra, para que nãopreciseis encarar a opressão e sofrer a ignomínia e para que a vossa sina não seja a pior possível. O guerreiro deve estar vigilante, porque se dormir o inimigo estará desperto."


CARTA 63
(Escrita para Abu Musa Achari, governador de Kufa , quando Amirul Muminin soube que este estava dissuadindo as pessoas daquela cidade de se juntarem quando Amirul Muminin os convidou para a campanha de Jamal)

"Do servo de Deus, Amirul Muminin para Abdullah Ibn Qais.
Eis que vim a saber das palavras por ti proferidas , as quais tanto são a teu favor como contra ti. Assim, quando o meu mensageiro chegar a ti, prepara-te para saires do teu covil e chama aqueles que estão contigo.
Então, se estiveres convencido da verdade, ergue-te, mas se te sentires acovardado, foge. Por Deus, que serás apanhado aonde que quer fores , e não será poupado, até que estejas completamente transtornado e que tudo a tua volta esteja espalhado e até que sejas arrancado do teu assento. então terás medo do que poderá vir pela frente como o tens do que vem por trás . Aquilo que esperas não é uma qustão leve, mas uma séria calamidade. Teremos que montar seus camelos, sobrepujar suas dificuldades e nivelar seus promontórios. Põe a tua mente em ordem, apega-te aos teus assuntos e adquire o teu quinhão. Se não gostares disso, então vai para onde serás bem vindo , nem disso poderás escapar. Será melhor que sejas deixado em paz e que te ponhas a dormir. então, ninguém te perguntará onde estás. Por Deus, este é o caso do direito com a pessoa certa ; não queremos saber o que os hereges fazem, wassalam."


CARTA 64
Em resposta a Muawiya

"Em verdade estávamos em termos amigáveis , como dizias, mas uma divergência se colocou entre nós , quando, após aceitares a crença, a rejeitaste. Hoje a posição é que nós estamos firmes ( na crença) e tu estás criando desavença. Aqueles de vós que aceitaram o Islã fizeram-no de modo relutante como o fizeram todos os homens importantes quando aceitaram o Islã e se juntaram ao Profeta de Deus(saas).
Tens afirmado que eu matei Tal'a e Zubair , que forcei A'isha a sair de sua casa e que adquiri residência entre as duas cidades (Kufa e Basra).
Essas são questões que não dizem respeito a ti, tampouco envolvem algo contra a tua pessoa. Portanto, nenhuma explicação te é devida.
Afirmas também que estás vindo a mim com uma facção de Muhajirin e Ansar mas eis que a Hijra chegou ao fim, no dia em que teu irmão foi feito prisioneiro. Se estás com pressa , então esperas um pouco para que eu vá a teu encontro , para que seja mais conveniente.Pois isso significará que Deus apontou-me para punir-te. Porém , se vieres a mim. será como o poeta Bani Assad disse:
"Enfrentam os ventos do verão que assolam com vendaval de terra e pedras."
(Lembra-te) ainda que tenho a espada com a qual despachei o teu avô, o irmão da tua mãe e o irmão de outro, no mesmo lugar.
Por Deus, que eu sei o que és. Teu coração é forrado e tua inteligência é fraca. Melhor dizendo, tu subiste uma escada de onde a tua visão é de uma cena ruim, contra ti, não a teu favor, porque estás procurando algo perdido por outro, estás ordenhando as reses de outra pessoa, ansiando por algo que não é teu, tampouco tens ligação com isso.
Quão afastadas estão as tuas palavras das tuas açõs e quão proximamente tu lembras os teus tios paternos e maternos ,os quais foram guiados por sua iniquidade e amor ao erro, opostos a Mohammad (saas) e como consequência, foram mortos , como sabes.
Eles não puderam oferecer resistência contra a calamidade e nem proteger os seus lugares seguros dos golpes de espada , golpes esses que são abundantes nas batalhas e que não demonstram fraqueza.
Muito falaste acerca da atança de Othman. Primeiramente junta-te ao que o povo se juntou ( a fidelidade) , então procura de mim o veredicto sobre as pessoas acusadas e eu estabelecerei o assunto entre tu e elas, de acordo com o Livro de Deus. Porém, o que estás procurando é como o falso mamilo que é dado a uma criança que se quer desmamar. Que a paz esteja com aquele que a merecem."


CARTA 65
Para Muawiya

"Este é o tempo em que deves tirar proveito , observando o claro ponto de vista dos assuntos principais, porque tens estado trilhando o caminho dos teus antepassados, ao fazer reivindicações errôneas e espalahndo noções falsas e não verazes, reivindicando para ti mesmo o que está acima de ti e exigindo o que não é para ti, porquanto queres fugir do que é direito e te revoltares contra o que está mais ligado à tua carne e ao teu sangue, ou seja, o que tem sido escutado pelos teus ouvidos, e tem enchido o teu peito. e depois de abandonar o que é direito nada mais permanece , a não ser o evidente extravio; e depois de considerar a clara afirmação, nada mais haverá a não ser a confusão. Deves portanto, guardar-te contra a dúvida e so maus efeitos da confusão, porque há muito tempo que o extravio abriu suas asas e o seu brilho cegou os olhos.
Recebi tua carta que está repleta de elocuções impolidas, as quais enfraquecem a causa da paz; e de expressões insensatas , as quais não foram preparadas com conhecimento e tolerância.
Em razão disso te tornaste como um que afunda no pântano ou que tateia na escuridão. Chegaste a uma posição em que se torna difícil aproximar-te dos sinais da diretriz , deles estando privado. Com marcos distantes para poder alcança-los. Equipara-se a estrela Anuq, em altura.
Deus nos livre de que tu venhas a estar encarregado dos negócios do povo, após assumires a autoridade como califa, ou qur venha a tomar uma medida concedendo-te autoridade sobre qualquer pessoa.
Portanto, de agora em diante guarda-te e fica cauteloso, porque se te excederes o povo de Deus (será forçado) a investir sobre ti, dificultando-te os assuntos e aquilo que é aceito de ti hoje não mais será aceito. Wassalam."


CARTA 66
Para Abdullah Ibn Abbas ( já incluída com uma versão diferente)

"Às vezes a pessoa se sente jubilosa com algo que não poderia perder , de maneira alguma, e se sente amargurada com algo que jamais lhe aconteceria. Portanto não deves considerar a obtenção do prazer e da satisfação do desejo de vingança o melhor favor deste mundo; mas sim o apagar a chama do erro e o reacender da chama do direito.
Teu prazer deveria consisitir nas boas ações que praticaste; tua tristeza deveria ser para aquilo que deixas para trás; e tua preocupação deveria ser com o que acontecerá após a morte."


CARTA 67
Para Kussam Ibn Abbas, governador de Makka

" Faz arranjos para o haj pelo povo, lembrando-lhe os dias ( a serem devotados) a Deus. Senta-te em audiência com eles, de manhã e à tarde. Explica a lei ao que o procura, ensina o ignorante e discute com o erudito. Não deverá haver intermediário algum entre ti e o povo, a não ser a tua língua, e guarda algum, a não ser o teu rosto.
Não impeças nenhuma pessoas necessitada de ir ter contigo, porque se o necessitado voltar da tua porta insatisfeito da primeira vez , a satisfação dos seus anseios , depois, não te trará louvores.
Vê o que foi coletado no tesouro público e gasta-o com pessoas que tenham família, com os desesperado, os famintos e os despossuídos nos teus domínios. Então envia-nos o restante para a distribuição entre aqueles que estão nestas localidades.
Pede ao povo de Makka para não cobrarem alugueres dos habitantes , porque Deus , o glorificado , diz :
" ... QUER SEJAM HABITANTES, QUER SEJAM VISITANTES" ( 22:25).
Que Deus conceda-nos a prontidão para buscarmos seu amor, Wassalam."


CARTA 68
(Escrita para Salman Al Farsi, antes do califado de Amirul Muminin)

"O exemplo do mundo é igual ao da serpente, que é macia ao tato, mas seu veneno é letal. De sorte que deves afastar-te de tudo que te parece bom , porque isso bem pouco estará contigo. Não te preocupes com ele, porque tua convicção deve ser de quanto mais te sentires atraído por ele, mais ele se esquivará de ti e te abandonará, porquanto sempre que alguém nele se sentir seguro, o mundo fará com que se altere a segurança para o medo."


CARTA 69
Para Haris Hamzani

"Agara-te ao vínculo do Alcorão e busca instruções nele.
Considera segundo ele, o que é lícito como lícito e o que é ilícito como ilícito. Testifica o que foi certo no passado. Tira, do mundo de outrora as lições para as presentes condições do mundo, porque aquela sua fase lembra outra e o seu término há de encontrar o seu começo, e no todo, irá mudar e desaparecer. Considera o nome de Deus muito grande para ser mencionado , a não ser nas qustões de direito.
Lembra-te da morte com mais frequência. Não anseies por ela , a não ser numa condição justicável. Evita qualquer ação que o praticante quer para si mesmo, mas não quer para os muçulmanos em geral.
Evita toda ação que seja praticada em segredo e pela qual a vergonha seja abertamente sentida. Evita também aquela ação sobre a qual, se o praticante for questionado, ele próprio a considerará como má, e pedirá desculpas. Não exponhas a tua honra a ponto de seres tratado como alvo da discussão das pessoas. Não passe às pessoas tudo aquilo que ouvires, pois isso poderá resultar em falsidade. Não contestes tudo aquilo que as pessoas te contarem, pois isso demonstrará ignorância. Desfaz a tua ira e perdoa quando tens poder ( para punir).
Mostra paciência no momento de raiva e concede indulto, a despeito da autoridade; a finalidade eventual, então , estará a teu favor.
Faz o bem de tudo aquilo com que Deus te agraciou e não desperdices nenhum dos favores contigo mesmo. O efeito dos favores de Deus para contigo deverá ser visível em ti.
fica sabendo que o mais distinto dos crentes será aquele que for mais rápido em dispender de si mesmo , da sua família e da sua propriedade, porque qualquer bem que expedires permanecerá em estoque no teu cômputo e qualquer benefício que retiveres será deduzido pelos outros. Procura evitar a companhia de pessoas cujas opiniões sejam insanas e cujas ações sejam detestáveis, poiso homem é julgado segundo suas companhias. Procura viver nas grandes cidades porque estas são centros coletivos de muçulmanos. Evita locais de negligência e corrupção e onde haja parcimônia de apoiadores da obediência a Deus. Restringe o teu pensamento a assuntos que te sejam úteis. Não te sentes nos centros mercantis, porque são pontos de encontro de Satã e alvos preferidos dos desmandos. Com muita frequência considera aqueles sobre quem tens superioridade porque esta é uma maneira de (prestares)ação de graças. Não empreendas viagem nas sextas-feiras, até que tenhas comparecido às orações , a não ser que estejas indo para os assuntos de Deus, ou para (resolver) questões prementes. Obedece a Deus em todos os teus negócios, porque a obediência a Deus tem precedência sobre todas as coisas. Não enganes teu coração quanto à adoração, procura persuadi-lo a não força-la. procura engajá-lo ( na adoração) quando ele estiver liberto e alegre, a não ser com respeito as orações obrigatórias que te foram prescritas , pois estas não podem ser negligenciadas , sendo que devem ser realizadas nas ( estipuladas) cinco horas .
Fica de guarda para que a morte não te surpreenda enquanto estás fugindo de Deus, à procura dos prazeres mundanos. Evita a companhia dos viciosos,´porque o vício atrai o vício. Considera Deus como sendo Grandioso e ama os que Deus ama. Afasta (de ti) a ira, pois ela é o maior dos exércitos de Satã." 

CARTA 70
( A Chal Ibn Hunaif Al Ansari, governador de Madina, sobre algumas pessoas daquela cidade que se aliaram a Muawiya)

"Eis que vim a saber que certos indivíduos estão se passando sorrateiramente para ( o lado de ) Muawiya. Não te amofines por causa do número deles que perdeste ou pela ajuda do que ficaste privado. é suficiente que eles se passaram para o extravio e que tu ficaste aliviado quanto a eles. Estão fugindo da diretriz da verdade e avançando rumo à cegueira e à ignorância. são anelantes dste mundo, estão o encontrando e nele se locupletando. Já tiveram conhecimento da justiça , já a viram, dela ouviram, e a apreciaram.
Conscientizaram-se de que aqui todos os homens são iguais, no que tange ao direito. e então fugiram para o egoísmo e a parcialidade.
Deixa que permaneçam afastados !
Por Deus, que não fugiram da opressão e não se juntaram à justiça.
Quanto a este assunto, somente desejamos que Deus resolva para nós suas vicissitudes e que aplaine os seus desníveis, se ELE quiser.
Wassalam."


CARTA 71
(Para Munzir Ibn Jarud Al Abdi, que se apropriou indevidamente de coisas que foram doadas , no seu cargo administrativo)

"Eis que o bom comportamento do teu pai me enganou sobre ti, pensei que irias seguir seu exemplo e trilhar seu caminho. No entanto, por aquilo que chegou a mim sobre ti (vejo) que não deixaste de seguir tuas paixões e que não estás fazendo provisão para o outro mundo. Estás enredado-te neste mundo por meio de arruinares a tua outra vida e fazendo o bem aos teus amigos através do afastamento da fé. Se o que chegou a mim sobre ti for correto, então o camelo da tua família ou o cadarço do teu calçado, vale mais do que tu.
Um homem das tuas características não é digno de tapar um buraco no chão nem de realizar qualquer feito, nem de mlhorar a sua posição,ou de ser tomado como parceiro confiável em qualquer questão , tampouco de ser de confiança quanto à apropriação do alheio. Portanto, vem ter comigo tão logo esta minha carta chegue a ti. Se Deus quiser."
(Sayyd Radhi diz: Munzir é aquele sobre quem Amirul Muminin (as) disse: " Ele olha frequentemente para os seus ombros, sente-se orgulhoso com seus aparatos e está sempre a soprar ( o pó ) dos seus sapatos" ).


CARTA 72
Para Abdullah Ibn Abbas

"Eis que tu não poderás ir além do limite da tua vida, tampouco poderá ser dada a sobrevivência que não está destinada a ti.
Lembra-te de que esta vida consiste de dois dias: im dia para ti e outro dia contra ti e de que o mundo é uma casa de governantes ( mutáveis). O que quer que nele seja para ti, a ti virá, apesar da tua fraqueza; e o que quer que nele escape de ti, não poderá ser trazido de volta , apesar do teu vigor."


CARTA 73
Para Muawiya

"Agora, me correspondendo e lendo as tuas cartas, minha visão tem estado fraca e minha inteligência está vagando.
Quando me apresentas tuas exigências e esperas que eu te envie respostas por escrito, é como alguém que está em profundo sono, enqinto seus sonhos o contradizem , ou como alguém que esteja perplexo e acabrunhado, sem daber o que virá a ele, ou o que estará contra ele. Tu não és esse homem, mas és igual a ele ( quiçá pior do que ele). Juro por Deus que se te desse tempo, enfrentarias catástrofes que esmagariam os osos e retirariam a carne. Fica sabendo que Satanás te impediu de retornares as boas ações e de ouvires as palavras de conselho."


CARTA 74
(Escrita por Amirul Mominin como protocolo entre a tribo de Rabia e o povo do Yemen, tomadas aos escritos de Hisham Ibn Qalbi)

"Esta escritura contém aquilo com o que o povo do Yêmen , citadinos e interioranos , e a tribo de Rabia, citadinos e interioranos , concordaram, (declarando) que iriam aderir ao Livro de Deus, se ateriam a ele, dariam ordens de acordo com ele e acatariam quem nele se apoiasse e ordenasse segundo seus princípios. Não desistiriam
(desse propósito) por nenhum ganho pecuniário, tampouco aceitariam qualquer alternativa em troca. Juntariam forças contra qualquer um que a isso se opusesse ou que o quisesse abandonar. Ajudariam uns aos outros. Sua voz seria única.Não quebrariam o juramento por causa da reprensão de um descontente, da ira de um raivoso, do tratamento humilhante de um grupo a outro, ou do uso de termos ofensivos de uma facção a outra.
Este voto é obrigatório a todos aqueles que estão presentes, que esão ausentes , a todos que estão se abstendo, dentre eles os tolos , os eruditos e os ignorantes. Além disso, o voto a Deus é obrigatório a todos e, do voto a Deus, há que se prestar contas. Escrito por Ali Ibn Abi Talib."


CARTA 75
(Para Muawiya , escrita logo depois que a Amirul Muminin recebeu o juramento de fidelidade. O escritor Waqidi a mencionou em seu livro "Kitab Al Jamal" - Livro do Camelo)

"Do servo de Deus, Ali, amirul Muminin para Muawiya , filho de Abi Sufian. Tu estás ciente das minhas desculpas perante o teu povo e da minha esquiva quanto a ti, até que aquilo aconteceu, o que foi inevitável e que não pôde ser prevenida. a história é longa e quanta coisa há para ser dita! Portanto, faz por garantir a fidelidade ( a mim) daqueles que estão contigo e vem ter comigo , em comissão."


CARTA 76
( Para Abdullah Ibn Abbas, por ocasião de sua nomeação como plenipotenciário em Basra)

"Vai ao encontro das pessoas com o rosto risonho , permite livre audiência a eles e procura das ordens generosas. Evita a ira , porque ela é um forte pretexto para Satã. Lembra-te de que aquilo que te aproxima de Deus te afasta do inferno e aquilo que te afasta de Deus te aproxima do inferno."


CARTA 77
(Para Abdullah Ibn Abbas, por ocasião de sua vinda para a confrontação com os Kharijitas)

"Não argumentes com eles em termos de Alcorão, porque este possui muitas facetas. Tu dirás o que tens a dizer e eles dirão o que têm dizer, mas argumenta segundo a Tradição, porque não encontrarão escapatória dela."


CARTA 78
(Para Abu Musa Al Achari, em resposta a sua carta com respeito aos dois arbitradores. O escritor Said Ibn Yahia al Amawi a mencionou no seu trabalho "Kitab al Maghazi" )

"Muitas pessoas se afastaram de muitos e (duradouros) benefícios
(da outra vida) porqunto se curvaram ao mundo e falaram levados pelas paixões. Estou providenciando a cura para os seus ferimentos mas temo que estes evoluam para um coágulo de sangue( e se tornem incuráveis). lembra-te de que ninguém é mais zeloso do que eu em unir os seguidores de Mohammad (saas) e em angariar a sua solidariedade. Busco, mediante isso, uma boa recompensa e um honroso lugar para meu retorno. cumprirei aquilo que prometi a mim mesmo, muito embora tu te retires da sadia posição que havia quando me deixaste ; em verdade , desgraçado é aquele ao qual é negado o benefício da sabedoria e da experiência. sinto-me enervado quando alguém fala errôneamente , ou quando tenha conspurcado uma questão que Deus fez sadia. Portanto, deixa de lado aquilo que não entendes porque os iníquos estão inferindo de ti coisas viciosas.
Wassalam"


CARTA 79
(Para os comandantes do exército, quando Amirul Mominin se tornou Califa)

"Eis que o que arruinou os anteriores a vós foi que negaram às pessoas seus direitos , que então tiveram de os adquirir ( por meio de propinas) e eles as dirigiram pelo caminho errado e elas os seguiram."

Links Relacionados
Palavras Iluminadas

“O estreitamento dos laços de família purifica as ações, aumenta os bens, afasta a desgraça,
facilita a prestação de contas e prolonga a vida do indivíduo.” Imam Mohammad al-Baquer (A.S.)


ARBIB - Associação Religiosa Beneficente Islâmica do Brasil - Departamento de Comunicação
Todos os direitos reservados à ARBIB - A reprodução é permitida, desde que citada a fonte