Setembro / 2018
DSTQQSS
01
02030405060708
09101112131415
16171819202122
23242526272829
30
Não foi encontrado nenhum registro para o mês de Setembro
InformaçãoArtigos e MateriasCiência e Tecnologia
A Exatidão Científica do Alcorão Sagrado
A história é testemunha de perseguições aos cientistas pela Igreja medieval. Contudo, isto não é o caso do Islam. Já que o Islam é a religião que acentua a necessidade de adquirir o conhecimento.

Traduzido por Ali Sivonaldo Alexandre da Silva.

A história é testemunha de perseguições aos cientistas pela Igreja medieval. Contudo, isto não é o caso do Islam. Já que o Islam é a religião que acentua a necessidade de adquirir o conhecimento. O Profeta do Islam considerou a tinta de um erudito mais preciosa do que o sangue de um mártir. Ele não discriminou entre homens e mulheres neste sentido, e disse, “Aquisição do conhecimento é obrigatória para cada homem que acredita e cada mulher que acredita”. Embora o número de pessoas instruídas em toda Arábia na alvorada do Islam possa ser contado nos dedos das mãos de alguém, as décadas sucessivas testemunharam uma excitação enorme no desenvolvimento científico e na aprendizagem. Tanto que os intelectuais muçulmanos e os cientistas sobrepujaram até os Romanos antigos e Gregos e a ciência moderna deve tudo ao conhecimento que eles obtiveram dos muçulmanos.

Além disso, Jabir ibn Hayyan, o pai da Química como ele é conhecido, esteve entre um dos estudantes do Imam Jaafar al-Sadiq (A.S.), a 5º da geração do Profeta Sagrado (S.A.A.S.).

Mas como é possível para uma pessoa criada em um ambiente nômade do 7o século na Arábia, mencionar coisas não ouvidas até então. Não foi por nada que o Profeta (S.A.A.S.). disse: "Sou a cidade do Conhecimento."

Supôs-se que a sua mensagem durasse até o dia do juízo. Os seus ensinamentos tiveram de ficar a prova do tempo e além das acima mencionadas palavras: "Sou a cidade do Conhecimento.", ele disse: "E Ali é o seu portal."

Deste modo, esta discussão é seguida com um extrato dos dizeres do lmam Jaafar al-Sadiq (A.S.) o bisneto de Ali ibn Abi Talib (A.S.). O provérbio é a famosa Hadith-e-Mufazzal, e a parte que citamos está considerando o desenvolvimento do embrião humano. Quando lemos as palavras do Imam, encontramo-las em consonância absoluta com o Alcorão. Além disso, elas estão na língua de um homem comum, facilmente entendidas por todos.

O Doutor Keith Moore da Universidade de Toronto ficou assombrado ao saber que muitas descobertas modernas no campo da embriologia devem ter sido conhecidas ao autor do Alcorão, já que esses fatos são insinuados ou afirmados explicitamente no Alcorão. Isto é especialmente significante porque o Alcorão clama ser a palavra textual de Deus. Como esses fatos podem ter sido conhecidos a algum ser humano que viveu no 7º século? A presença desses fatos no Alcorão é a prova evidente que o Alcorão não veio da mente de nenhum ser humano, mas sim, foi revelado por Deus cujo conhecimento é perfeito, e que, por isso, conhecia o que os cientistas descobririam no século 20.

O Doutor Moore não é o único cientista a ter discutido os versos alcoranicos que veremos neste artigo. Mas o fato que ele não é muçulmano põe o que ele tem a dizer em uma luz diferente. Ninguém pode acusá-lo de inventar coisas para defender o Islam. Os seus estudos terão de ser levados a sério por qualquer investigador da verdade. Isso que segue é tirado do seu artigo "Momentos de Crise intitulados da Embriologia Humana no Alcorão e no Hadith" que foi apresentado na Sétima Reunião Médica Saudita, na Universidade do Rei Faisal nos dia 3 a 6 de Maio de 1982. No momento, doutor Moore era Professor de Anatomia e Presidente do Departamento de Medicina da Universidade de Toronto.

Na investigação da história de idéias no campo da embriologia, doutor Moore observou que a ausência do conhecimento neste campo e "a influência que a superstição domina resultou em uma aproximação não-científica do desenvolvimento humano." Ele observou, por exemplo, que enquanto Aristóteles fez algumas contribuições para o estudo da embriologia, ele também promoveu "a idéia incorreta que o embrião humano desenvolve-se de uma massa disforme que resulta da união de esperma com o sangue menstrual".

O conhecimento neste campo não pôde progredir significativamente até que o microscópio fosse descoberto no século 17. "Depois que foi possível examinar células minúsculas do microscópio, foi raciocinado no século 18 que o desenvolvimento resulta do crescimento e da diferenciação de células embrionárias."

Em vista do acima mencionado, depois que o doutor Moore teve a oportunidade de estudar certas afirmações do Alcorão e afirmações do Profeta (S.A.A.S.) na literatura do Hadith, ele reparou, “fiquei assombrado com a exatidão científica dessas afirmações que foram feitas no século 7”.

“Criou-vos de uma só pessoa; então, criou, da mesma, a sua esposa, e vos criou oito espécies de gado. Configura-vos paulatinamente no ventre de vossas mães, entre três trevas”. (39:6)

A respeito do acima mencionado verso do Alcorão, doutor Moore diz: "Este verso do Alcorão afirma que Deus os fez nos ventres de suas mães por etapas, uma após a outra, dentro de três véus de escuridão." Então, ele explica a sua estupefação: “a realização que o embrião se desenvolve por etapas no útero não foi discutida ou ilustrada até o século 15”.

“A organização de embriões humanos não foi proposta até os anos 40, e as etapas usadas atualmente não foram adotados no mundo inteiro até alguns anos atrás”.

É razoável interpretar os três véus da escuridão mencionada no Alcorão como:

• a parede abdominal da mãe;
• a parede do útero;
• as membranas.

Essas três camadas anatômicas protegem o embrião do dano externo.

“Em seguida, fizemo-lo uma gota de esperma, que inserimos em um lugar seguro. Então, convertemos a gota de esperma em algo que se agarra, transformamos o coágulo em feto e convertemos o feto em ossos; depois, revestimos os ossos de carne; então, o desenvolvemos em outra criatura. Bendito seja Deus, Criador por excelência. Então morrereis, indubitavelmente. Depois sereis ressuscitados, no Dia da Ressurreição”. (23:12-16)

A respeito destes versos do Alcorão, doutor Keith Moore diz:

"Este verso do Alcorão afirma que Deus os fez de uma gota e logo modificou a gota em uma estrutura parecida a uma sanguessuga que logo se modificou em uma substância que então tomou a forma óssea e foi revestida com carne."

Para ilustrar o seu ponto sobre a exatidão do Alcorão, doutor Moore enfileirou um quadro de uma sanguessuga e um quadro de um embrião humano em 24 dias seguidos, para mostrar a semelhança notável entre os dois. Semelhantemente ele comparou o embrião humano em 28 dias seguidos com um modelo de plasticina do embrião com marcas de dentes deliberadamente impressas nele, e descobriu que os dois eram bastante semelhantes.

“Que logo se converteu em algo que se agarra, do qual Deus o criou, aperfeiçoando-lhes as formas. De qual fez dois sexos, o masculino e o feminino?” (75:38)

“Então, formou-lhe uma prole da essência de sêmen sutil”. (32:8)

Doutor Moore então vira a sua atenção para o Alcorão (75:38) onde se diz que os seres humanos são criados de um nutfa, uma gota de esperma muito pequena, que jorrou adiante, e que Deus fez a progênie dos homens "de uma extração de fluido desprezado (32:8)." Ele também se refere a um hadith, que diz: "não é de toda a substância sagrada uma criança feita." Então ele comenta:

"É bem estabelecido que só algumas centenas de vários milhões de esperma são capazes de passar pelo útero e rodear o ovo no tubo uterino."

“Em verdade, criamos o homem, de esperma misturado, para prová-lo, e o dotamos de ouvidos e vistas”. (76:2)

A Surah (76:2) diz que um ser humano é criado de uma gota variada. Doutor Moore comenta: "a gota variada mencionada no Alcorão pode referir-se à mistura da pequena quantidade de esperma e seu fluido associado". Há outras referências no Alcorão à origem do homem de uma pequena quantidade de 'fluidos mistos, indubitavelmente a substância sexual masculina e feminina.

Ao passo que o Alcorão já tinha mencionado esta verdade no século 7, doutor Moore observou que mil anos depois, ainda no século 17, os cientistas se agarraram a duas concepções errôneas. Alguns acreditaram que um ser humano muito pequeno é contido no esperma; os outros acreditaram que foi contido no ovo, e em todos os casos que o ser humano muito pequeno simplesmente se tornou maior. Os cientistas mostraram que ambas dessas idéias são errôneas. Spallanzani no século 18, quando ele "mostrou experimentalmente que tanto os produtos sexuais masculinos como femininos foram necessários para a iniciação do desenvolvimento."

“De uma gota de esperma; Ele o criou e o modelou” (80:19)

Indo para um novo tópico, doutor Moore refere-se a Surata (80:19) e seus comentários são: "Este verso do Alcorão afirma que desta gota Ele (Deus) o criou e logo planejou as suas futuras características." Então, ele explicou a sua estupefação:

"A idéia que o desenvolvimento resulta de um plano genético contido nos cromossomos do zygote não foi descoberta até o fim do século 19. O verso do Alcorão claramente diz que o nutfa contém o plano ou projeto para as futuras características, as características do ser humano que se desenvolve."

“E que Ele criou (tudo) em pares: o masculino e o feminino, De uma gosta de esperma, quando alojada”. (53:45-46)

Então ele menciona a Surah (53:45-46) e diz: "este verso afirma que um macho ou uma fêmea serão criados do nutfa e que o sexo do embrião é determinado no começo." Esta parte da informação no Alcorão é um caminho à frente do seu tempo. "A realização que o sexo foi determinado na fertilização foi estabelecida há aproximadamente 60 anos quando os cromossomos sexuais foram descobertos," ele diz.

“As mães (divorciadas) amamentarão os seus filhos durante dois anos inteiros, aos quais desejarem completar a lactação, devendo o pai mantê-las e vesti-las eqüitativamente. Ninguém é obrigado a fazer mais do que está ao seu alcance. Nenhuma mãe será prejudicada por causa do seu filho, nem tampouco o pai, pelo seu. O herdeiro do pai tem as mesmas obrigações; porém, se ambos, de comum acordo e consulta mútua, desejarem a desmama antes do prazo estabelecido, são serão recriminados. Se preferirdes tomar uma ama para os vossos filhos, não sereis recriminados, sempre que pagueis, estritamente, o que tiverdes prometido. Temei a Deus e sabe que Ele vê tudo quanto fazeis”. (2:223)

Há mais para maravilhar-se, o Doutor Moore explica que o primeiro embrião implanta-se no útero aproximadamente 10 dias depois da fertilização. Então, ele compara este conhecimento com o que ele encontra no Alcorão. "Uma compreensão do processo de implantação do embrião humano também é contida no Alcorão." Aqui doutor Moore refere-se a Surah (2:223) onde o ato do sexo é comparado com o cultivo. Ele diz: "isso refere-se ao cultivo da terra e a comparação da implantação do embrião à plantação de uma semente é um muito apropriada. Tão como o solo cobre a semente, o epitélio uterino cobre o embrião implantado. O embrião logo desenvolve-se para adquirir a nutrição do sangue maternal. De mesmo modo o embrião formado da semente desenvolve com a aquisição de nutrição do solo."

“Criamos o homem de essência de barro. Em seguida, fizemo-lo uma gota de esperma, que inserimos em um lugar seguro. Então, convertemos a gota de esperma em algo que se agarra, transformamos o coágulo em feto e convertemos o feto em ossos; depois, revestimos os ossos de carne; então, o desenvolvemos em outra criatura. Bendito seja Deus, Criador por excelência. Então morrereis, indubitavelmente. Depois sereis ressuscitados, no Dia da Ressurreição”. (23:12-16)

Olhando novamente a Surah (23:12-16), o doutor Moore indica "que há um atraso ou a fenda entre a etapa nutfa e a sanguessuga como etapa." Como isto se compara com o conhecimento científico moderno? Notavelmente! Diz doutor Moore: "é bem estabelecido que há um atraso no desenvolvimento do embrião durante a implantação... O acordo entre o atraso ou fenda no desenvolvimento mencionado no Alcorão e a razão lenta da modificação que ocorre durante as segundas e terceiras semanas é assombroso. Esses detalhes do desenvolvimento humano não foram descritos até a aproximadamente 40 anos atrás."

“Ó humanos, se estais em dúvida sobre a ressurreição, reparai em que vos criamos do pó, depois do esperma, e logo vos convertemos em algo que se agarra e, finalmente, em feto, com forma ou amorfo, para demonstrar-vos (a Nossa onipotência); e conservamos no útero o que queremos, até um período determinado, de onde vos retiraremos, crianças para que alcanceis a puberdade. Há, entre vós, aqueles que morrem (ainda jovens) e há os que chegam à senilidade, até ao ponto de não se recordarem do que sabiam”. (22:5)

Movendo-se para a Surah (22:5) doutor Moore diz: "este verso afirma que você é criado de um pedaço mastigado que é tanto diferenciado e não diferenciado." Então ele diz: "é bem estabelecido que o cérebro e o coração só são parcialmente diferenciados no fim da quarta semana quando o embrião se parece com uma substância mastigada."

“Então, convertemos a gota de esperma em algo que se agarra, transformamos o coágulo em feto e convertemos o feto e ossos; depois, revestimos os ossos de carne; então, o desenvolvemos em outra criatura”. (23:14)

A seqüência de etapas mencionadas na Surah (23:14) é surpreendentemente exata. "Este verso afirma que fora do pedaço mastigado, os ossos são feitos e são revestidos com músculos." Doutor Moore relaciona a conclusão da ciência moderna: "Depois do mastigado, como aparência, os ossos desenvolvem-se e são logo revestidos com músculos."

Considera-se que um hadith também é notavelmente exato. O hadith afirma que Deus envia um anjo à criança que se desenvolve "para criar a sua audição, visão, pele, carne e ossos." "As orelhas e os olhos começam a formar-se na quarta semana", diz doutor Moore, “são claramente visíveis em seis semanas”. Observando que no hadith o anjo pergunta a Deus se a criança é masculina ou feminina, doutor Moore indica que o sexo da criança não é distinguível nesta etapa. Os machos e as fêmeas são iguais durante esta etapa e ficam claramente distinguíveis só na décima segunda semana. Isto ele documentou claramente com a ajuda de um diagrama separado do seu livro “O Ser Humano que se Desenvolve: Embriologia Clinicamente Orientada”, de 1982.

Finalmente, doutor Moore conclui: "de acordo com que encontrei entre afirmações no Alcorão e no Hadith pode me ajudar a fechar a fenda entre ciência e religião que existiu durante tantos anos."
Tudo isso vai mostrar que o Alcorão não pode ter sido o produto da mente de Muhammad (S.A.A.S.) ou qualquer outro ser humano que vivia no século 7. Como poderia ele acessar a informação que não seria descoberta até o século 18 ou 20? Como ele ou alguém mais poderia estudar o embrião humano nas suas etapas iniciais sem usar um microscópio? Impossível. Mas então o Alcorão deve ser de Deus como ele clama. O Alcorão diz que você e cada ser humano devem considerar este livro com muito cuidado. Tivesse sido de alguém outro senão Deus, você teria encontrado muitas discrepâncias nele.

“Não meditam, acaso, no Alcorão? Se fosse de outra origem, que não de Deus, haveria nele muitas discrepâncias”. (4:82)

Conclusão

Imam Ja'far al-Sadiq (A.S) sobre o desenvolvimento de um Ser humano.

"O embrião no mundo é ajustado, embora seja confinado dentro de três espécies distintas de coberturas a parede exterior, o ventre e a placenta. Isto é um tempo quando o embrião não pode dirigir nem a sua nutrição nem repelir qualquer dano. O fluxo menstrual é desviado para servir a ele como uma nutrição, tão como a água transporta nutrições às plantas, portanto este processo continua até que em determinado tempo a sua constituição seja aperfeiçoado, a sua pele por cima do seu corpo fica grossa o bastante para suportar a atmosfera e os seus olhos conseguem a capacidade de suportar a luz. Quando tudo isso é realizado, sua mãe passa pela angústia do trabalho de parto, que a sacode severamente, culminando no nascimento da criança. Com o nascimento da criança, o fluxo menstrual é desviado aos seios da mãe. O seu gosto é alterado, assim também é a sua cor... ele se torna uma nutrição da primeira ordem... até determinado tempo o seu corpo permanece delicado, os seus órgãos suaves e fracos. Como ele começa a deslocar-se e necessita que a nutrição seja mais resistente e faça uma constituição mais forte, os seus molares mastigam a comida para facilitar a digestão. Ele segue tal nutrição até a puberdade... Quem então criou o homem do nada e Quem é o arquiteto do seu valor? Quem está sempre vigilante para fornecer as suas necessidades...”

Finalmente, podemos observar que o Alcorão não é um manual de Ciências. O seu objetivo não é ensinar-nos a ciência, mas ensinar-nos a orientação, a orientação que nos conduzirá à vida eterna no Paraíso, que Deus preparou para aqueles que acreditam Nele e fazem o certo. Você pode ser um daqueles. A Evidência está na sua frente e a decisão é sua.

Links Relacionados
Palavras Iluminadas

“São aqueles que, quando os estabelecemos na terra, observam a oração, pagam o Zakat, recomendam o bem e proíbem o ilícito. E em Deus repousa o destino de todos os assuntos.” (Surata al-Haj, C. 22 – Versículo 41)


ARBIB - Associação Religiosa Beneficente Islâmica do Brasil - Departamento de Comunicação
Todos os direitos reservados à ARBIB - A reprodução é permitida, desde que citada a fonte