Agosto / 2018
DSTQQSS
01020304
05060708091011
12131415161718
19202122232425
262728293031
Não foi encontrado nenhum registro para o mês de Agosto
InformaçãoArtigos e MateriasSábios e Personalidades
Ayatullah Morteza Motahari (K.S.).
Breve biografia do Ayatullah Mártir Morteza Motahari (K.S.). Sua vida, estudos, trabalho e empenho pela causa honrada do Islam até a chegada de seu martírio, no ano de 1979. Leia mais...

O mártir Ayyatullah Mortedha Motahari nasceu em 2 de fevereiro de 1919, em Farimán, uma cidade ao noroeste do Irã, na província de Khorasán. Seu pai, o Sheikh Mohammad Husain Motahari, foi um homem piedoso e, conseqüentemente, respeitado e amado pelos muçulmanos.

Mortedha Motahari iniciou seus estudos preliminares no Maktab Jana (escola primária tradicional) da localidade de Farimán, e desde cedo demonstrou um talento especial e uma grande devoção pelo conhecimento, assim como uma inteligência aguda e um grande entusiasmo para a compreensão da ideologia islâmica.

Em 1932 se mudou para a cidade santa de Mash-had, onde se encontra a tumba e o santuário de Ali Abul Hassan Al-Redha, o oitavo Imam dos muçulmanos, a paz esteja com ele, e lá se dedicou aos estudos islâmicos preliminares. Aos 17 anos viajou para a cidade santa de Qom, e enquanto o amor pela filosofia islâmica firmava seu caráter, adquiria grandes benefícios dos ensinamentos de ulemas (líderes religiosos) como o Sayyed Mohammad Hoyyat e o Ayyatullah Sadruddín Al Sadr. Em 1940 participou das aulas de grandes professores como o Ayyatullah Boruyerdí e o Ayyatullah Ruhullah Musaui Al Khomeini, este último que mais tarde se tornou o Imam (líder) da Revolução e fundador da República Islâmica do Irã.

Em 1950 começou a interessar-se pela vida e obras de Ibn Sina (Avicena) e junto a discípulos como o Imam Musa Sadr do Líbano e o Ayyatullah Hussain Alí Montazerí participou das aulas do eminente filosofo e sábio islâmico Allamah Mohammad Hussain Tabataba’i, do qual recebeu valiosos conhecimentos e preciosos conselhos. Tabataba’i é o autor do monumental e profundo “Tafsír Al-Mizan” (O Equilíbrio na Interpretação do Alcorão), obra que consta de 22 tomos em língua árabe. Mais tarde, Motahari escreveria um notável comentário sobre outra obra de Tabataba’i chamada “Usul-i-Falsafah” (Fundamentos de Filosofia).

Motahari viajou a Teerã em 1952, e ali pôs todos seus esforços para reativar a educação islâmica dos estudantes universitários, ameaçada pela contaminação estrangeira propiciada pelo regime do Xá. Dessa forma se tornou publicamente ativo, pronunciando discursos revolucionários em centros religiosos e intelectuais. Além disso, participou ativamente na organização das mobilizações dos muçulmanos contra a tirania imperante e a formação de seus quadros, e até os últimos momentos de sua vida não poupou esforços para vitalizar o movimento islâmico revolucionário.

O Ayyatullah Motahari teve um papel preponderante na vitória da Revolução Islâmica de 11 de fevereiro de 1979, que destruiu a dinastia e o sistema criminal dos Pahlaví, e que sob a liderança do Imam Khomeini cortou as mãos sujas do imperialismo norte-americano.

Sua firmeza em evitar que os inimigos do Islam e da liberação dos oprimidos do mundo pudessem subverter a influência de suas idéias fez com que ele fosse alvo das balas de agentes contra-revolucionários a serviço da opressão mundial em 2 de maio de 1979, depois de três meses do triunfo da revolução, enquanto dirigia uma árdua sessão do Conselho Revolucionário Islâmico.

Links Relacionados
Palavras Iluminadas

“No Islam as pessoas são iguais, todos são de Adão e Eva, o árabe não é mais virtuoso do que o não árabe, e o não árabe não é mais virtuoso do que o árabe, somente pelo temor a Deus”. Profeta Mohammad (S.A.A.S.)


ARBIB - Associação Religiosa Beneficente Islâmica do Brasil - Departamento de Comunicação
Todos os direitos reservados à ARBIB - A reprodução é permitida, desde que citada a fonte