Janeiro / 2018
DSTQQSS
010203040506
07080910111213
14151617181920
21222324252627
28293031
Não foi encontrado nenhum registro para o mês de Janeiro
InformaçãoArtigos e MateriasProfeta Mohammad (S.A.A.S.)
Ensinamentos Morais do Profeta (S.A.A.S.)

SACRIFÍCIO DO CORDEIRO

Assim que o Profeta do Islam (S.A.A.S), e os seus companheiros desceram dos seus animais de viagem e retiraram as cargas, foi decidido que eles sacrificariam um cordeiro para o jantar.

Um dos companheiros apresentou-se: "Sacrificarei o cordeiro”. O outro: "O esfolarei”. O Terceiro: "O cozinharei”. O Quarto: "O prepararei...”. O Profeta (s.a.a.s): "Reunirei a madeira do deserto”. O grupo: "Ó Mensageiro de Deus, isto não está acontecendo para desconsolar-te. Você descansa. Teremos a honra de fazer tudo isso por nós mesmo". O Profeta disse (S.A.A.S.): "Sei que vos estão ansiosos para fazer tudo, mas Deus não ficará agradado com o escravo que se distingue entre ele e os seus companheiros, e se considera melhor do que outros".

Então ele foi ao deserto, e reuniu um pouco de madeira, e trouxe ao grupo.

ENLAÇAMENTO DO CAMELO

A caravana tinha estado em viagem durante horas. Os sinais da fadiga eram óbvios em suas faces. Eles chegaram a um ponto e pararam. O Profeta (S.A.A.S.) que também estava na caravana, parou o camelo, e desceu. Antes de tudo, eles foram à procura da água para preparar-se para a oração.
O Profeta (S.A.A.S.) também procurava água. Mas logo, dava-o ao seu camelo, sem dizer algo a alguém. Os companheiros ficaram surpresos que o Profeta tinha ordenado parar aqui, e agora possivelmente ele gostaria de mover-se novamente? Os olhos e os ouvidos esperavam a sua ordem. Mas a surpresa do grupo aumentou quando eles o viram aproximar do seu camelo, e amarrava os seus joelhos, e voltava à procura de água.

"Ó Profeta de Deus! Por que você não ordenou que nós fizéssemos isto para ti, e em vez disso você põe-se no desconforto? Teríamos feito orgulhosamente esse serviço por ti”.

O Profeta (S.A.A.S.) respondeu: "Nunca busque a ajuda de outros nos seus assuntos, não se incline aos outros, mesmo se ele for uma pequena parte de Miswak (a madeira usada para escovar dentes)”.

NARRAÇÃO DA VERDADE

A narração da verdade é um hábito muito bom. Se você sempre disser a verdade, você pode salvar-se de muitas preocupações! Aqui está uma história de um homem que fez muitas coisas más, mas a sua promessa de dizer a verdade o salvou.

Uma vez um homem veio ao profeta (S.A.A.S) e disse: "Ó profeta de Deus, tenho muitos maus hábitos. Quais deles devo abandonar primeiro?" O profeta disse, "Deixe de mentir primeiro e sempre diga a verdade." O homem prometeu fazer assim e foi para casa.

À noite o homem estava a ponto de sair para roubar. Antes disso ele pensou por um momento na promessa que ele fez ao profeta. "Se amanhã o profeta me perguntar onde fui o que direi? Direi que saí para roubar? Não, não posso dizer isto. Mas nem posso mentir. Se eu disser à verdade, todo mundo começará a me odiar e me chamará de um ladrão. Eu seria punido por roubo”.

Portanto o homem decidiu não roubar naquela noite, e abandonou este mau hábito.

No dia seguinte, ele teve vontade de beber vinho, quando ele estava a ponto de fazer assim, ele disse a ele mesmo, "O que direi ao profeta se ele me perguntar o que fiz durante o dia? Não posso dizer uma mentira, e se eu falar a verdade as pessoas me odiarão, porque não se permite que um muçulmano beba vinho”. E, portanto ele abandonou a idéia de beber vinho.

Deste modo, sempre que o homem pensasse em fazer algo mal, ele lembrava-se de sua promessa de dizer a verdade sempre. Um por um, ele abandonou todos os seus maus hábitos e se tornou um bom muçulmano e uma pessoa muito boa.

Se você sempre disser a verdade, pode torna-se uma boa pessoa, um bom muçulmano do qual Deus gosta e favorece. Se Deus - o nosso Criador - for agradado conosco, Ele nos recompensará com o paraíso, que é um lugar de felicidade e alegria. Faça uma promessa: sempre direi a verdade.

O HOMEM AFLITO

O Profeta Sagrado S.A.A.S.) fez sua oração da manhã na mesquita junto com outras pessoas. Neste momento, o Profeta (S.A.A.S.) viu um jovem cuja condição não pareceu ser normal. A sua cabeça não podia descansar propriamente no seu corpo e movia continuamente para vários lados. O Profeta (S.A.A.S) observou o seu rosto, que estava pálido; os seus olhos estavam profundos. O seu corpo tinha emagrecido. Ele perguntou-o: "Em que condição você está?" "Estou na condição da certeza, Ó Mensageiro de Deus (s.a.a.s)". Respondeu o jovem. "Cada certeza tem alguns sintomas que indicam a sua verdade; qual é o sintoma da sua certeza?" “A minha certeza é aquela que se associa com a minha miséria. Das noites, ela levou embora o meu sono; e passo os dias com a sede. Virei as minhas costas dos confortos deste mundo e virei o meu rosto em direção a outra vida. Com isto que estou vendo o julgamento do Dia do Juízo, assim do mesmo modo também vejo a ressurreição de toda a criação de Deus. É como se eu estivesse vendo as pessoas do paraíso em seu prazer e as pessoas do Inferno no tormento severo. É como se o barulho mortal das chamas do Fogo infernal esteja tocando agora mesmo nos meus ouvidos”.

O Profeta (S.A.A.S.) virou o seu rosto em direção às pessoas e disse: "Ele é o adorador de Deus cujo coração foi iluminado pela luz da fé."

Então ele (S.A.A.S.) virou em direção ao jovem e disse: "Mantenha-se neste bom estado." O jovem disse: "Ó Mensageiro de Deus (S.A.A.S.)! Reze para que Deus me dê uma oportunidade na Guerra Santa (Jihad) e abençoe-me com o martírio no caminho certo."

O Profeta (S.A.A.S.) rezou. E não levou muito tempo até que uma oportunidade surgiu para a Guerra Santa, na qual o jovem participou. A décima pessoa que foi martirizada naquela guerra foi ninguém este jovem.

OS TRÊS AMIGOS

Uma vez o Profeta de Deus (S.A.A.S.) sentava-se entre os seus companheiros na mesquita quando de repente ele disse "Hoje narrarei uma história a todos vocês que revelará três enigmas para que todos possam resolver". Isto silenciou a multidão e todos eles escutaram o que o Profeta tinha a dizer. Mohammed (S.A.A.S) continuou dizendo que uma vez um homem veio a saber que os dias de sua vida estavam contados e que logo ele seria confrontado com a morte. Com este conhecimento ele temeu a sua solidão na sepultura e foi procurar amigos verdadeiros que o ajudariam e acompanhariam.

Ele bateu na porta do seu primeiro amigo e perguntou se ele ajudaria. A isto o amigo disse, "Naturalmente, estamos aqui." Mas então, o homem prosseguiu dizendo que tinha poucos dias para viver e por isso necessitou da ajuda. Logo que ele proferiu esta afirmação, o amigo disse:"Sinto, mas quando a morte nos chega, não há nada que possamos fazer para você a não ser comprar um lugar no cemitério e um pouco de tecido (Kafan) para cobrir o seu corpo morto." Afligido mas ansiando pelo seu seguinte amigo, o homem mudou.

Na segunda porta, quando ele veio face a face com o seu amigo, e depois de narrar a história inteira da sua morte, pediu ajuda, a mesma resposta foi novamente dada. O segundo amigo disse que "Estive lá por toda a sua vida e posso ajudá-lo aqui. Mas não há nada que posso fazer por você depois que você morrer exceto levar o seu cadáver ao cemitério e enterrá-lo."

Perdido na agonia e no desespero, ele dirigiu-se ao terceiro amigo, muito seguro que ele receberia a mesma resposta mas havia uma esperança restante. Quando ele confrontou o terceiro amigo, e lhe disse que ele necessita de ajuda, o amigo ansiosamente apresentou-se para ajudar. Mas o homem continuou dizendo que precisa da ajuda depois que morrer. Ao qual o terceiro amigo respondeu, “Não se incomode, meu caro amigo”! O acompanharei à sepultura, estarei lá com você na sepultura, mesmo quando os anjos chegarem para interrogar-lo (Munkar-o-Nakeer), irei assisti-lo no Sirat (ponte) e conduzi-lo ao paraíso. "A isto o homem soltou um suspiro de alívio e faleceu em paz em seguida."

O Profeta (S.A.A.S.) então virou e perguntou aos seus companheiros se alguém pode identificar os três amigos e o homem. Quando o silêncio prevalecente não se dissolveu, o Profeta continuou dizendo, "o homem na anedota é qualquer ser humano." O primeiro amigo é o "dinheiro/prosperidade", coisas que nos ajudam só na vida e não depois que morremos. O segundo são a família e filhos, esforçamo-nos para eles toda a nossa vida e tudo que eles nos dão é um ombro à sepultura".

E o amigo terceiro e mais importante é "Aamal” (ações) que nos acompanham durante todo o tempo.

Narrações do Profeta Mohammad (S.A.A.S.):

"Há três amigos do Ser humano: Prosperidade, Família e o seu Aamal (ações)".

"Seja quem for que retifica os seus assuntos, Deus retificará os seus assuntos mundanos, e seja quem for que retifica o que está entre ele e Allah, Allah retificará o que está entre ele e as pessoas."

Links Relacionados
Palavras Iluminadas

“O estreitamento dos laços de família purifica as ações, aumenta os bens, afasta a desgraça,
facilita a prestação de contas e prolonga a vida do indivíduo.” Imam Mohammad al-Baquer (A.S.)


ARBIB - Associação Religiosa Beneficente Islâmica do Brasil - Departamento de Comunicação
Todos os direitos reservados à ARBIB - A reprodução é permitida, desde que citada a fonte